DECOLONIZANDO SABERES

A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA EM LÍNGUA DE SINAIS PARA ALUNOS SURDOS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.i73.47979

Palavras-chave:

Literatura surda, Identidade surda, Libras e literatura

Resumo

Este artigo tem por objetivo apresentar algumas considerações sobre a importância e função da literatura em língua de sinais para a construção identitária de alunos surdos. No Brasil, há vinte anos, a Libras – Língua Brasileira de Sinais está instituída como língua de comunicação e expressão da comunidade surda através da Lei nº 10.436/2002 e, desde então, um árduo trabalho vem sendo desenvolvido por profissionais da área para que se faça valer a Lei da Libras nos mais diversos ambientes. A literatura surda – criada em Libras – tem um papel fundamental na formação da identidade dos alunos surdos pelas representações culturais dessa comunidade. Por ela, é possível demonstrar que a surdez pode ser vista apenas como uma diferença linguística e não como uma deficiência, assim como apregoa a visão clínica, pois a Libras possui as mesmas funções e características das línguas orais. Além disso, para alunos surdos, a literatura surda traz consigo o poder da ludicidade, da imaginação e do autorreconhecimento como sujeitos de valor em uma sociedade majoritariamente ouvinte. A pesquisadora e professora Dra. Lodenir Karnopp, juntamente com o poeta surdo Dr. Cláudio Mourão exploram em diversos materiais a relevância de ofertar literatura surda para que cada vez mais pessoas surdas se sintam protagonistas da própria história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Decreto Nº 5.296, de 02 de dezembro de 2004. Dispõe sobre normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, D.F., 02 dez. 2004. p. 23. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/d5296.htm Acesso em: 04 de fev. de 2022.

CANDIDO, Antônio. O direito à literatura. In: CANDIDO, ANTONIO. Vários escritos. 3.ed. ver. ampl. São Paulo: Duas Cidades, p. 24, 1995.

CARVALHO, Luiz Claudio da Costa. Lendas da identidade: o conceito da literatura surda em perspectiva. 1. Ed. Curitiba: Appris Editora, p. 156, 2019.

COMPAGNON, Antonie. Literatura para quê? Trad. Laura Taddei Brandini, Belo Horizonte, ed. UFMG, 2009.

COSTA, Kleber Martiniano et al. Educação bilíngue para surdos: tudo certo como dois e dois são cinco. Grau Zero — Revista de Crítica Cultural, v. 9, n. 1, 2021, p. 23-49, nov. de 2021. Disponível em: https://revistas.uneb.br/index.php/grauzero/issue/view/603 Acesso em: 31 de jan. de 2022.

DEFICIÊNCIA AUDITIVA. Fiocruz, 2007. Disponível em: http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/infantil/deficiencia-auditiva.htm Acesso em: 31 de jan. de 2022.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo brasileiro de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Censo 2010.

KARNOPP, Lodenir. Literatura Surda, Florianópolis, p. 2, 2008.

MOURÃO, Claudio Henrique Nunes. Literatura surda: experiência das mãos literárias, 2016, 286 p. UFRGS, Porto Alegre.

NICHOLS, Guilherme. Literatura Surda: além da língua de sinais. 2016, 184 p., Literatura surda, Faculdade de educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP.

PERLIN, Gladis. MIRANDA, Wilson. Surdos: o narrar e a política, ponto de vista, Florianópolis, n.5, p. 217-226, 2003.

PORTO, Shirley; PEIXOTO, Janaína. Literatura Visual. 2011. Disponível em: <http://biblioteca.virtual.ufpb.br/files/literatura_visual__1330351986.pdf>. Acesso em: 05 de fev. de 2022.

SKLIAR, Carlos. A surdez: um olhar sobre as diferenças. 2. Ed. Porto Alegre: Mediação, 1998.

Downloads

Publicado

2022-09-27

Como Citar

COSTA, K. DECOLONIZANDO SABERES: A IMPORTÂNCIA DA LITERATURA EM LÍNGUA DE SINAIS PARA ALUNOS SURDOS. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 73, p. 164–174, 2022. DOI: 10.9771/ell.i73.47979. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/47979. Acesso em: 7 dez. 2022.