LITERATURA E ESTÉTICA: UMA ANÁLISE LUKÁCSIANA DO CONTO O VERÃO FELIZ DA SENHORA FORBES, DE GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ

Autores

  • Andressa Kelly Lima Moura Universidade Federal do Piauí
  • Maria Escolástica de Moura Santos Universidade Federal do Piauí
  • Carolina de Aquino Gomes Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.i70.44068

Palavras-chave:

Literatura, Estética, Educação, América Latina

Resumo

O presente trabalho parte da análise literária do conto O verão feliz da senhora Forbes, de Gabriel García Márquez, a partir da Estética de Georg Lukács. Essa narrativa aborda a rígida educação imposta por uma preceptora alemã a dois irmãos latino-americanos. A partir dela, é possível construir um estudo literário pertinente que, além de tratar de aspectos narrativos, propõe-se a trabalhar com a interdisciplinaridade reivindicada pela própria narrativa. Dessa forma, propomos um diálogo entre a literatura e a educação, de modo a elucidar os motivos da educação truculenta presente na obra e como a arte amplia e torna sensível este tema. Esta pesquisa é de cunho bibliográfico e utiliza, como método de investigação geral, o materialismo histórico-dialético e, complementarmente, o método translinguístico adotado por Chiampi (1980), que consiste em orientar o texto para o contexto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Kelly Lima Moura, Universidade Federal do Piauí

Estudante de Letras Portugês da Universidade Federal do Piauí, do Departamento de Letras Vernáculas, pesquisa na área de literatura e participa do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação e Emancipação Humana (NESPEM).

Maria Escolástica de Moura Santos, Universidade Federal do Piauí

Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da Universidade Federal do Ceará - UFC (2017); Mestre em Educação pela Universidade Federal do Piauí - UFPI (2010) e Licenciada em Pedagogia pela Universidade Federal do Piauí (2004). É Professora Adjunta II da Universidade Federal do Piauí, Departamento de Fundamentos da Educação - DEFE, área de Fundamentos Históricos e Culturais da Educação. É Líder do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação e Emancipação Humana (NESPEM). Discute temas relacionados às categorias Trabalho, Formação Humana, Educação e Pobreza.

Carolina de Aquino Gomes, Universidade Federal do Piauí

Doutora em Letras com área de concentração em Literatura Comparada, pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Atualmente é professora Assistente do Curso de Letras da Universidade Federal do Piauí (UFPI), onde desenvolve pesquisas sobre o mal e a morte em Literaturas de Língua Portuguesa. Também desenvolve estudos sobre a obra de José Saramago no que diz respeito ao insólito e a linguagem. Carolina de Aquino também é subcoordenadora do Núcleo de pesquisa em Literatura Contemporânea - NUPLIC (UFPI), membro do Grupo de pesquisa ?Tradição, Mitos e Lendas: estudos de literatura comparada? (UFC), mais especificamente da linha de pesquisa intitulada ?Vertentes do mal na literatura?, além de coordenar o Grupo de estudos sobre o mal na Literatura (UFPI).

Referências

CHIAMPI, Irlemar. O realismo maravilhoso. São Paulo: Perspectiva, 1980.

COSTA, Adriane Vidal. O boom da literatura latino-americana, o exílio e a revolução cubana. Dimensões. Vitória, n. 29, p. 133-164, 2012. Disponível em: [https://periodicos.ufes.br/dimensoes/article/view/5535/0]. Acesso em: 15/07/2020.

DIÓGENES, Lenha Aparecida da Silva. György Lukács e Honoré de Balzac: um diálogo entre estética, literatura e formação humana. 2019. 221 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2019.

DIÓGENES, Lenha Aparecida Silva; RABELO, Jackline; CARMO, Francisca Maurilene do. Trabalho e arte: uma reflexão sobre os fundamentos da estética marxista. In: RABELO, Jackline; SANTOS, Deribaldo; ARAÚJO, Adéle Cristina Braga (Org.). Trabalho, estética e formação humana. Fortaleza: EdUECE, 2019.

FREDERICO, Celso. Lukács: um clássico do século XX. São Paulo: Moderna, 1997.

LLOSA, Mário Vargas. Dicionário amoroso da América Latina. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

LUKÁCS, Georg. Prólogo da obra “Estética”. In: VEDA, Miguel; COSTA, Gilmaisa; ALCÂNTARA, Norma (Org.). Anuário Lukács 2017. São Paulo: Instituto Lukács, 2017.

LUKÁCS, Georg. Introdução a uma estética Marxista: sobre a Particularidade como Categoria Estética. São Paulo: Instituto Lukács, 2018.

MAGALHÃES, Belmira. A particularidade estética em Vidas Secas, de Graciliano Ramos. 2.ed. São Paulo: Instituto Lukács, 2015.

MÁRQUEZ, Gabriel García. A solidão da América Latina. 1982. Disponível em: [http://thomasvconti.com.br/2014/discurso-de-gabriel-garcia-marquez-ao-receber-o-premio-nobel-de-literatura/]. Acesso em: 29/06/2020.

MÁRQUEZ, Gabriel García. Doze contos peregrinos. 25.ed. Rio de Janeiro: Editora Record, 2014.

MÉSZÁROS, István. Para além do capital: rumo a uma teoria da transição. 1.ed. revista. São Paulo: Boitempo, 2011. p. 94-132.

REIS, Ricardo. O espaço da latino-americanidade. Crítica Literária Latino Americana, Lima, 1988, p. 25-37. Disponível em: [www.jstor.org/.] Acesso em: 6/05/2020.

SANTOS, Deribaldo. Estética em Lukács: a criação de um mundo para chamar de seu. São Paulo: Instituto Lukács, 2018.

VIEIRA, Felipe de Paulo Góis. (Des)Construindo identidades: estudo das representações dos latino-americanos presentes na obra Doze Contos Peregrinos de Gabriel García Márquez. 2008. 93 p. Monografia (graduação em História). Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, 2008.

Downloads

Publicado

2021-12-11

Como Citar

MOURA, A. K. L.; SANTOS, M. E. de M.; GOMES, C. de A. LITERATURA E ESTÉTICA: UMA ANÁLISE LUKÁCSIANA DO CONTO O VERÃO FELIZ DA SENHORA FORBES, DE GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZ. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 70, p. 211–235, 2021. DOI: 10.9771/ell.i70.44068. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/44068. Acesso em: 27 maio. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES