A NECESSIDADE E OS DESAFIOS DA APROPRIAÇÃO DAS TECNOLOGIAS VERDES PELA COMUNIDADE DE BAIXA RENDA

o caso dos telhados verdes ecológicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/ns.v14i26.54286

Resumo

Cada vez mais, a sociedade, principalmente nos centros urbanos, vem transformando espaços naturais em espaços artificiais para atendimento às demandas de bem-estar, trabalho e moradia.  Em consequência, observa-se a diminuição da biodiversidade e de todos os benefícios associados ao bem-estar de se estar cercado de áreas verdes. Nesse contexto, que bem descreve o cenário da urbanização, tem sido recorrente a tentativa de se resgatar o cenário pré-urbanização, ou seja a criação de áreas verdes, com o objetivo de minimizar os efeitos do aumento de temperatura e da escassez de água. Em algumas localidades, os impactos da urbanização podem comprometer ainda mais a qualidade de vida da população. É o caso da região Semiárida brasileira, onde, naturalmente, já existe a necessidade do uso de alternativas de convivência com a escassez hídrica e com as altas temperaturas. Para reduzir os impactos ambientais, as tecnologias verdes constituem alternativas promissoras para minimização do escoamento superficial em eventos pluviométricos extremos e para regulação térmica de ambientes externos e internos às edificações. Por outro lado, o emprego de tecnologias verdes, na maioria das vezes, confere um acréscimo ao custo do projeto original, tornando a técnica inacessível às pessoas em situação financeira pouco privilegiada. Assim sendo, uma reflexão sobre essa lacuna técnico-social é necessária. Apresenta-se, neste trabalho, através de tecnologias cientificamente investigadas, subsídios para popularização das tecnologias verdes. Afinal, a concreta apropriação pelas tecnologias verdes de forma a alcançar toda as camadas sociais, com gama de produtos acessíveis e funcionamento técnico adequado para que os benefícios esperados atinjam todos os usuários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ranny Rocha, Universidade Federal de Pernambuco

Graduada no curso de Bacharelado de Engenharia Civil, no Centro Universitário Cesmac - Maceió (AL). Mestra do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental (PPGECAM), da UFPE. Graduanda no curso de Licenciatura em Matemática, no Instituto Federal de Pernambuco (IFPE). Realizando especialização de Tutoria em educação a distância e docência no ensino superior, na Faculdade Venda Nova do Imigrante (FAVENI). Experiência na área de Engenharia Civil.

Haylla Leonardo, Universidade Federal de Pernambuco

Doutoranda em Engenharia Civil com ênfase em Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Mestre em Engenharia Civil com ênfase em Recursos Hídricos pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Graduada em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Formação de Técnica em Edificações pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE). Pesquisadora do Grupo de Recursos Hídricos (GRH/UFPE). 

Anderson Paiva, Universidade Federal de Pernambuco

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco (2002), mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco (2004) e doutorado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Pernambuco (2009). Atualmente é membro permanente da Universidade Federal de Pernambuco, coordenador do curso de graduação da Universidade Federal de Pernambuco, membro permanente da Universidade Federal de Pernambuco, membro associado da Associação Águas do Nordeste e professor associado da Universidade Federal de Pernambuco. Tem experiência na área de Engenharia Sanitária, com ênfase em Recursos Hídricos, atuando principalmente nos seguintes temas: filtração em margem, qualidade de água, drenagem urbana, interação rio-aqüífero e zona hiporréica.

Publicado

2023-12-07

Como Citar

Melo dos Santos, S., Tavares Marcolino da Rocha, R. S. ., de Albuquerque Lins Leonardo , H. R. ., & Ribeiro de Paiva, A. L. (2023). A NECESSIDADE E OS DESAFIOS DA APROPRIAÇÃO DAS TECNOLOGIAS VERDES PELA COMUNIDADE DE BAIXA RENDA: o caso dos telhados verdes ecológicos. NAU Social, 14(26), 1248–. https://doi.org/10.9771/ns.v14i26.54286

Edição

Seção

Novos Territórios