"Prática como Pesquisa nas Artes da Cena" será o título da Edição n.48 do Cadernos do GIPE-CIT

2021-11-29

CADERNOS DO GIPE-CIT

CHAMADA PARA A SUBMISSÃO DE TRABALHOS

Salvador, 29 de novembro de 2021

O Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), abre chamada para a submissão de trabalhos para a Edição N. 48 (Ano 26, 2022.1) do Cadernos do GIPE-CIT que terá como título Prática como Pesquisa nas artes da cena.

A Prática como Pesquisa (Practice as Research) é sobretudo um modo de realizar pesquisa acadêmica onde (um)a prática integra a metodologia para se investigar temáticas diversas. A prática se torna o meio pelo qual a pesquisa é realizada, ela norteia a investigação e determina não somente a maneira de se pesquisar, mas também a forma de se refletir sobre pesquisa. Na Prática como Pesquisa, ao invés de se articular pensamentos sobre a prática, estes são articulados, sobretudo, através desta prática, no caso, artística. Na Prática como Pesquisa a atividade realizada (prática) é tida como um tipo de conhecimento específico que articula um conjunto de saberes. 

O termo surgiu no contexto acadêmico anglo-saxão no final da década de 1990 para fomentar projetos que necessitavam de experimentação prática e artística para que as pesquisas fossem realizadas. Além disso, o termo surgiu para evidenciar e também orientar o rigor de pesquisas cujo elemento chave é uma determinada atividade artística. A Prática como Pesquisa se assume como um tipo de investigação que se baseia ou é norteada por uma prática e acontece primariamente através dela, mas que é articulada na escrita para ser compartilhada na forma de dissertações/teses/artigos/livros. 

Quando o termo é traduzido do inglês para o português por Fernandes (2014), passamos a considerar o contexto acadêmico local em relação a este guarda-chuva metodológico internacional e também a pensar nas premissas que este tipo de pesquisa traz para o fazer acadêmico brasileiro. Mais especificamente, a Prática Artística como Pesquisa diz respeito ao fazer criativo nas artes como modo específico e múltiplo de gerar conhecimentos, ou seja, como metodologias próprias, que vão desde a Pesquisa Performativa (HASEMAN, 2006) à modalidades de pesquisas guiadas, baseadas, ou a partir da prática artística.  É neste cruzamento de fazeres e pensares que a chamada n. 48 do GIPE-CIT visa reunir artigos e ensaios que articulem os saberes da Prática como Pesquisa ou revelem diferentes investigações onde ela foi a principal norteadora de uma pesquisa em artes cênicas, considerando, sobretudo o rigor que esta exige em uma pesquisa acadêmica. 

Nesta edição, vamos acolher artigos e ensaios elaborados por pesquisadores (incluindo mestrandos e doutorandos), professores e artistas que apresentem trabalhos diretamente relacionados ao tema  da Prática como Pesquisa.

Os trabalhos relacionados à Edição número 48 (Ano 26, 2022.1) deverão ser apresentados até o dia 15 de janeiro de 2022, em conformidade com as normas e o Cronograma expressos nesta Chamada (ANEXO 1), elaborados em acordo com princípios, determinações e diretrizes do periódico. E devem ser submetidos no sítio https://periodicos.ufba.br/index.php/gipe-cit

Cadernos do GIPE-CIT é uma revista semestral especializada em Artes Cênicas, editada pelo Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia. Acolhe a colaboração livre de trabalhos inéditos, atuais e de reconhecido interesse acadêmico nas áreas de teatro, de dança, de cinema, de circo, performance e afins, na forma de artigos, ensaios e entrevistas. A revista foi desenvolvida pelo Grupo Interdisciplinar de Pesquisa e Extensão em Contemporaneidade, Imaginário e Teatralidade (GIPE-CIT), criado em 1994.

O GIPE-CIT deu origem ao Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da UFBA, em 1997, e à Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-graduação em Artes Cênicas – ABRACE, em 1998. Os cadernos propõem-se a divulgar resultados parciais de seus pesquisadores efetivos e associados, professores, doutorandos, mestrandos e artistas. A iniciativa vem contando com apoio do CNPq (1997/1999), da FAPEX e da UNEB (1999/2000) e do PROAP-CAPES/ MEC (a partir de 2004). Edições dos Cadernos do GIPE-CIT podem ser encontradas em bibliotecas especializadas e podem ser acessadas pelo sítio do PPGAC/ UFBA, bem como no PORTAL DE PERIÓDICOS DA UFBA.

Cordialmente,

Melina Scialom e Ciane Fernandes

Organizadoras - Cadernos do GIPE-CIT n. 48

 

Cadernos do GIPE-CIT

PRINCÍPIOS E DETERMINAÇÕES

1. CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES

1.1   Revista editada semestralmente pelo Programa de Pós-graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal da Bahia, Cadernos do GIPE-CIT publica trabalhos relacionados a pesquisas acadêmicas no âmbito das Artes Cênicas. Acolhe a colaboração livre de trabalhos inéditos, atuais e de reconhecido interesse acadêmico nas áreas de teatro, de dança, de cinema, de circo, performance e afins, na forma de artigos, ensaios e entrevistas. A revista mantém seu foco na práxis em Artes Cênicas, privilegiando contribuições oriundas de pesquisadoras e pesquisadores que atuam nas regiões Nordeste e Norte do Brasil; contribuições que fortaleçam as relações culturais ibero-americanas; bem como reflexões sobre as matrizes africanas e indígenas e seus impactos na cena contemporânea;

1.2 A revista conta com um Conselho Editorial permanente e a cada edição constitui um grupo de Organizadores e uma Comissão Científica para conduzir a avaliação e a seleção dos trabalhos, junto à Coordenação Editorial (composta por Editores, Revisores, Designers). O processo de avaliação é realizado por até três avaliadores pareceristas, com ampliação do número de pareceres em caso de contradições relevantes;

1.3 Cadernos do GIPE-CIT oferece acesso livre e imediato ao seu conteúdo. Todos os textos publicados estão disponíveis na internet para os usuários após a publicação. O uso não comercial é permitido, desde que sejam claramente mencionadas as referências aos autores e à revista;

1.4 Cadernos do GIPE-CIT não cobra taxas de processamento de artigos, nem taxas de submissão;

1.5 O processo de avaliação dos trabalhos submetidos a cada edição do Cadernos do GIPE-CIT deve seguir as diretrizes estabelecidas pela respectiva Chamada pública. Entretanto, os Organizadores, a Comissão Científica constituída a cada publicação, bem como a Coordenação Editorial e os Autores/Autoras devem seguir aos Princípios e determinações regulares da revista aqui expressos;

1.6 Cada Edição deve publicar uma Chamada propondo um dossiê temático contendo as diretrizes estabelecidas para o processo de avaliação e seleção, e todas as etapas do processo até a publicação devem seguir a um Cronograma, que integrará a Chamada;

1.7 Os avaliadores, integrantes da Comissão Científica, que será constituída a cada edição, devem receber os trabalhos sem a identificação dos respectivos autores/autoras;

1.8 Os trabalhos deverão ser postados na página do Cadernos do GIPE-CIT no PORTAL SEER UFBA: https://portalseer.ufba.br/index.php/gipe-cit/index;

1.9 Podem ser admitidos trabalhos apresentados em coautoria;

1.10 Cada autor/autora (incluindo os casos de coautoria) poderá submeter apenas um trabalho a cada edição;

1.11 Os trabalhos devem ser inéditos;

1.12 Trabalhos submetidos ao processo de seleção poderão ser escritos em Língua Portuguesa ou em qualquer outra língua. Nos casos de língua estrangeira, devem vir acompanhados da tradução para o português.

2. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E SELEÇÃO

2.1 Observância aos Princípios e determinações regulares do Cadernos do GIPE-CIT, às diretrizes de cada Chamada pública, assim como às normas técnicas vigentes para trabalhos acadêmicos, conforme a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas);

2.2 Deve existir vinculação entre o trabalho submetido com o tema proposto para cada edição, conforme a Chamada;

2.3 Pertinência da abordagem escolhida e consistência na discussão apresentada;

2.4 Clareza e coesão textual.

3. DOS FORMATOS

3.1 Serão admitidos artigos, ensaios ou entrevistas contendo:

3.1.1 Relatos de experiências e/ou de processos artísticos;

3.1.2 Discussões teórico-epistemológicas;

3.1.3 Estudos de caso;

3.1.4 Escritas dramatúrgicas, acompanhadas de reflexão autoral. O texto dramatúrgico relacionado pode ser acessado na íntegra através de um hiperlink.

3.2 Caso a Chamada pública de determinada edição do Cadernos do GIPE-CIT inclua um novo formato textual ou defina normas específicas para o número em questão, Autores/Autoras e Coordenação Editorial (Editores, Revisores e Designers) devem se adequar às determinações transitórias, que visam permitir a experimentação e a expansão do campo Pesquisa em Artes Cênicas. Os Organizadores devem fundamentar e especificar as alterações no referido Edital.

4. NORMAS PARA A FORMATAÇÃO DOS TRABALHOS

4.1 Os trabalhos devem ter formato de artigo, de ensaio ou de entrevista, conforme definições do item 3 desse documento, e devem ter a seguinte estrutura básica:

Cabeçalho (Título, Resumo, Palavras-chave, Title, Abstract, Keywords);

Seção introdutória;

Seção de desenvolvimento: podem ser incluídas subseções (com Intertítulos), conforme a necessidade;

Seção de Conclusão (no caso de artigos) ou de considerações finais;

Referências;  

A estrutura do texto deve conter no mínimo dez (10) e no máximo catorze (14) páginas, não incluindo as Referências.  

4.2 O Cabeçalho deve conter:  

 4.2.1 Título do trabalho em português e título em inglês, separados por uma linha de distância. Devem ser digitados em letra maiúscula (caixa alta), em Arial, tamanho 12, espaçamento entre linhas simples, alinhamento centralizado; e o subtítulo (sem caixa alta) na próxima linha. Ambos devem estar em negrito;                                                                                                 

  4.2.2 O Resumo deverá ser elaborado de acordo com as normas da ABNT vigentes. Os textos em português deverão ter o Resumo traduzido para o inglês (Abstract). Resumos em português e inglês, necessariamente nessa ordem, devem ser separados por uma linha de distância:

a)    Os resumos devem ser digitados em fonte Arial, tamanho 12, espaçamento entre linhas simples;

b)    No Resumo (e no Abstract) deve ser apresentada a proposta geral da pesquisa, quadro teórico, objetivos e considerações metodológicas.

4.2.3 As Palavras-chaves (Keywords) devem ser inseridas abaixo de seus respectivos resumos, conforme regras da ABNT.

a) Cada trabalho deve apresentar de três (3) a cinco (5) palavras-chave.

4.3 Os textos deverão ser digitados em fonte Arial, tamanho 12 e o espaçamento entre linhas de 1,5, alinhamento justificado. Deverão ser submetidos em formato Microsoft Word (.DOC);

4.4 Os Intertítulos, digitados em letras maiúsculas (caixa alta), fonte Arial, tamanho 12, espaçamento simples, não devem conter numeração;

4.5 As Referências, ao final do texto, devem seguir as normas da ABNT vigentes, lembrando que o título da obra referencial deve ser colocado em destaque com a utilização de negrito. Caso o documento citado possua DOI é importante que seja informado:

a)    Diferentes trabalhos do mesmo autor/autora e mesmo ano devem ser identificados com uma letra que os diferencie.

4.6 Os textos devem ter notas de rodapé explicativas apenas para a apresentação de comentários, explanações breves ou traduções. Podem ser publicadas Notas do Autor/Autora e Notas da Edição (quando formuladas pela Coordenação Editorial).

4.7 As citações com até três (3) linhas devem estar entre aspas e no corpo do texto. As citações com mais de três (3) linhas devem ser destacadas, em fonte 11, espaçamento entre linhas simples, sem aspas e com recuo de 4cm. As intervenções nas citações (introdução de termos e explicações) devem ser colocadas entre colchetes. As omissões de trechos da citação devem ser marcadas por reticências entre parênteses;

4.8 É obrigatória a utilização do sistema Autor-Data para todas as citações: (Sobrenome do autor/autora, ano) para citações indiretas e (Sobrenome do autor/autora, ano, página) para citações diretas;

4.9 Os trabalhos submetidos devem seguir às seguintes configurações gerais:

a)    Página A4;

b)    Margens Superior e Inferior de 3cm;

c)    Margens laterais de 2cm;

d)    Uso de “aspas duplas” somente para citação no corpo do texto;

e)    Uso de itálico para termos estrangeiros e títulos de obras referenciais para o trabalho;

f)     Uso de negrito para destaque no texto;

g) URLs informadas no texto por meio de hiperlink;

h)    Imagens no corpo do texto (com os devidos créditos).

4.10 O uso de imagens (fotografias, desenhos, mapas, gráficos, tabelas) no corpo do texto deve respeitar ao limite máximo de cinco (5) itens por trabalho. Caso os trabalhos incluam imagens da autoria de terceiros, é indispensável que seja encaminhado documento de autorização. O material deverá vir creditado e acompanhado de legendas de identificação, e as seguintes formatações: alinhamento centralizado, resolução mínima de 72dpi e máxima de 150dpi; P&B ou colorida; tamanho mínimo de 7cm X 5cm e máximo de 10cm X 15cm; legendas abaixo das imagens em fonte Arial, tamanho 10, espaçamento simples, alinhamento centralizado e sem formatação de quebra automática de texto.

4.11 Os autores poderão utilizar hiperlink para fazer referências a material em meio eletrônico, como áudios, recursos audiovisuais ou para vincular escritas dramatúrgicas. Nesses casos, inserir referência ao link como nota de rodapé ou no item Referências, da seguinte forma: “Disponível em: <link>. Acesso em: dia/mês/ano. No caso de envio de mídias, seguir os padrões:        

a)    Imagens: resolução de 300 a 600dpi e tamanho de 725 X 500 pixels;

b)    Vídeos: até 15 min, enviar link do YouTube;

c)    Arquivos de áudio: no formato mp3 e duração máxima de 15 minutos e arquivo no tamanho máximo de 2MB.

4.12 O envio do texto original implica na autorização para a publicação segundo o conceito de Creative Commons 3.0 e poderá ser publicado na revista;

4.13 Os trabalhos não devem ser postados contendo a assinatura do Autor/Autora ou dos Autores/Autoras. A identificação deve vir nos itens complementares à postagem do manuscrito;

4.14 Os trabalhos devem ser acompanhados por informações sobre autoras e autores. É indispensável encaminhar texto, com até cinco (5) linhas, contendo informações sobre a formação acadêmica, cargo em exercício e demais informações relevantes sobre a trajetória acadêmica e artística. É importante que contenha os seguintes dados:

Instituição a que a pesquisadora (ou o pesquisador) esteja vinculada (o) e o tipo de vínculo;

Estágio da pesquisa (projeto, em andamento ou concluída; ano);

Bolsa de fomento (quando houver);

Dados sobre a atuação profissional (artística, instituição de ensino, movimento cultural, dentre outras).

4.15 Os mestrandos devem identificar o professor-orientador (e a sua titulação), além da Instituição e do Programa de Pós-graduação onde realizam suas pesquisas;

4.16 Artistas com atuação reconhecida nas artes cênicas podem inscrever trabalhos, desde que sigam às Diretrizes para Autores: Princípios e determinações do Cadernos do GIPE-CIT e às normas de cada Edital de Chamada.

5. REGRAS PARA A SUBMISSÃO DE TRABALHOS NO PORTAL SEER UFBA

5.1 Os textos devem ser submetidos através do sistema SEER: https://portalseer.ufba.br/index.php/gipe-cit/index;

5.2 Para a submissão de trabalhos, as autoras e os autores devem cadastrar-se previamente no Cadernos do GIPE-CIT, através do PORTAL DE PERIÓDICOS DA UFBA selecionando a função AUTOR;

5.3 Após o cadastro, devem realizar login no sistema e escolher a opção “nova submissão”. Nesta aba, encontram-se as orientações passo a passo para a submissão dos trabalhos;

5.4 O trabalho a ser submetido à avaliação da revista (etapa 2: inclusão do manuscrito) não deve conter informações que possibilitem a identificação da autoria;

5.5 As informações no corpo do texto que possam identificar a autoria do trabalho devem ser removidas e substituídas por indicações entre colchetes, tais como:

[nome do autor removido para avaliação]

[título do espetáculo removido para avaliação]

[nome da instituição removida para avaliação]        

5.6 O arquivo em WORD também não deve conter informações de identificação dos autores. Para remover essas informações, recomendamos seguir as seguintes etapas:

No arquivo WORD do manuscrito, acessar a aba “arquivo”;

Abrir o item “informações”;

Clicar em Inspecionar documento;

Clicar em “inspecionar”;

Após o resultado, remover “propriedade do documento e informações pessoais”;

Remover comentários, revisões, versões etc.

5.7 Os dados de identificação do autor devem ser preenchidos correta e exclusivamente no formulário indicado (etapa 3: inclusão de metadados). Os dados curriculares e/ou biográficos dos autores devem ser resumidos em até cinco (5) linhas.

 

ANEXO 01

CRONOGRAMA 

Cadernos do GIPE-CIT - Edição número 48 (Ano 26, 2022.1)

30/11/2021 ............................. Publicação da Chamada 

De 30/11/2021 a 15/01/2022............ Chamada para submissões

15/04/2022 .............................. Resultado dos trabalhos contemplados

30/06/2022 .............................. Publicação online da Edição n.48

 

CONSELHO EDITORIAL:

André Carreira (UDESC); Angela de Castro Reis (UNIRIO); Antônia Pereira Bezerra (UFBA); Beti Rabetti (UNIRIO); Christine Douxami (Univ. FrancheComté); Ciane Fernandes (UFBA); Daniel Marques (UFBA); Denise Coutinho (UFBA); Eliana Rodrigues Silva (UFBA); Fernando Mencarelli (UFMG); Gilberto Icle (UFRGS); Olinda Margareth Charone (UFPA); Sérgio Farias (UFOBA); Wladilene Lima (UFPA).