AS LÍNGUAS EM OPERAÇÕES MILITARES E SEU PAPEL PARA A CONSTRUÇÃO DA PAZ

Autores

  • Alex Beckhauser Universidade Estadual de Feira de Santana

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.v0i75.51329

Palavras-chave:

Paz; Multilinguismo; Operações militares.

Resumo

Este trabalho tem como objetivo discutir a importância das línguas para os contingentes militares em operações de paz e apresentar alguns casos que apontam para a relevância de uma discussão mais ampliada sobre o papel das línguas como forma de contribuir para a construção da paz em cenários marcados por conflitos. A metodologia é bibliográfica e fundamenta-se em Galtung (1967, 1966), Footitt e Kelly (2012) e Souza Jr (2015). Defendemos que as línguas desempenham um papel importante para o sucesso dessas operações, contribuindo, inclusive, para a promoção de sociedades pacíficas e inclusivas, além de garantir eventual acesso à justiça. A promoção e a garantia desses direitos estão ancoradas no 16º Objetivo do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, objetivo este que embasa o presente texto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUILAR, Sérgio. Uma cultura brasileira de missões de paz. In: BRIGAGÃO, Clóvis; FERNANDES, Fernanda (orgs.). Diplomacia brasileira para a Paz. Brasília: Fundação Alexandre de Gusmão, 2012, p. 215-241.

ARTEAGA, Isabel Hernández; HERNANDEZ, José Alberto Luna; CHALA, Marta Cecilia. Cultura de paz: una construcción desde la educación. Rev. Hist. Edu. Latinoamericana, v. 19, n. 28, p. 149 – 172, 2017.

BECKER, Mona. Interpreters and translators in the War Zone: narrated and narrators. The Translator, v. 16, n. 2, p. 197-222, 2010.

BIGATÃO, Juliana de Paula. Manutenção da paz e resolução de conflitos armados intraestatais na década de 1990: a atuação das Nações Unidas. In: MEI, Eduardo; SAINP-PIERRE, Héctor Luis. Paz e Guerra: defesa e segurança entre as nações. São Paulo: UNESP, p. 155-187, 2013.

BOBBIO, Norberto. A era dos direitos. 7. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

BOUTROS-GKALI, Boutros. Un programa de paz. FASOC, v. VIII, n. 1, 1992.

BRASIL. Manual de Operações de Paz. Ministério da Defesa. 3. ed., 2013.

CAMPOS, Luís Melo. Mediação de conflitos: enquadramentos institucionais e posturas epistemológicas. Coimbra: Mediarcom/Minerva, 2009.

EDWARDS, Victoria. The role of communication in peace and relief mission negotiation. Translation Journal, v. 6, n. 2. s/p, 2002. Disponível em: [http://translationjournal.net/journal/20interpr.htm#4].' Acesso em: 10 set. 2022.

FOOTITT, Hilary; KELLY, Michael. Languages at War: policies and practices of languagues contact in conflict. New York: Palgrave Macmillan, 2012.

FOOTITT, Hilary; KELLY, Michael. Languages and the Militay: alliances, occupation and peace building. New York: Palgrave Macmillan, 2012.

FOUST, Joshua. A dura vida do intérprete. Estadão. São Paulo, 27 set. 2009. Aliás. Disponível em: [http://alias.estadao.com.br/noticias/geral,a-dura-vida-do-interprete,441713]. Acesso em: 02 out. 2017.

FRANCO, MARINA. Novo secretário-geral da ONU pede em sua 1ª mensagem que paz seja prioridade. G1, Rio de janeiro, 01 jan. de 2017. Disponível em: [https://g1.globo.com/mundo/noticia/em-sua-primeira-mensagem-novo-secretario-geral-da-onu-pede-que-paz-seja-prioridade.ghtml]. Acesso em: 05 jan. 2018.

GALTUNG, Johan. Theories of peace: a synthetic approach to peace thinking. Oslo: International Peace Research Institute, 1967.

GALTUNG, Johan. Peace by peaceful means. London: Sage, 1996.

GALTUNG, Johan. An interview with Johan Galtung. [Entrevista concedida] a Ben Baruch. Peace Insight, s/p, mar. 2012. Disponível em: [https://www.peaceinsight.org/en/articles/interview-johangaltung/?location=sudan&the me=peace-education]. Acesso em: 15 set. 2022.

GUÉHENNO, Jean-Marie. United Nations Peacekeeping Operations: principles and guidelines. Nova York: United Nations, 2008.

HEIMBUERGER, Franziska. Fighting together: language issues in the military coordination of First World War allied coalition warfare. In: FOOTITT, Hilary; KELLY, Michael. Languages at War: policies and practices of languagues contact in conflict. New York: Palgrave Macmillan, 2012, p. 47-57.

KANT, Immanuel. À paz perpétua. Porto Alegre: L&PM, 2017.

LEWIS, Lieutenant Colonel Justin. Languages at war: a UK Ministry of defense perspective. In: FOOTITT, Hilary; KELLY, Michael. Languages at War: policies and practices of languagues contact in conflict. New York: Palgrave Macmillan, 2012, p. 58-69.

OLIVEIRA, Gilvan Müller de Oliveira. Declaração Universal dos Direitos Linguísticos: novas perspectivas em política lingüística. Campinas: Mercado de Letras, 2003.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Sustainable depelopment goals. Disponível em: [http://www.un.org/sustainabledevelopment/sustainable-development-goals/] Acesso: em 15 set. 2022.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. Informe Brahimi Informe del Grupo sobre las Operaciones de Paz de la Naciones Unidas. Conferencias, reuniones y eventos. Disponível em: http://www.un.org/es/events/pastevents/brahimi_report/executive_summ.shtml. Acesso em: 15 set. 2022.

SOUZA JUNIOR, Israel Alves de. O uso de assistente de linguagem em missões de paz da ONU – benefícios e riscos. In: CCOPAB e operações de paz: Visões, reflexões e lições aprendidas. CCOPAB, 2015, p. 137-163 Disponível em: [http://biblioteca.f59.com.br/documentos/CCOPAB%20e%20Operacoes%20de%20Paz%20(PORTUGUES).pdf]. Acesso em: 25 set. 2022.

UNESCO. Ugra Declarations on preserving languages and promoting linguistic deversity in cyberspace for inclusive sustainable development. Khanty Mansyisky, 2017. Disponível em: [http://www.ifapcom.ru/files/2017/Ugra_declaration_eng.pdf]. Acesso em: 22 set. 2022.

Downloads

Publicado

2023-10-30

Como Citar

BECKHAUSER, A. AS LÍNGUAS EM OPERAÇÕES MILITARES E SEU PAPEL PARA A CONSTRUÇÃO DA PAZ . Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 75, p. 29–48, 2023. DOI: 10.9771/ell.v0i75.51329. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/51329. Acesso em: 4 dez. 2023.