ECOS DE CESÁRIO VERDE NA POESIA DE ANTÓNIO BOTTO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.i73.48489

Palavras-chave:

Cesário Verde, António Botto, Literatura Comparada, Literatura Portuguesa, Poesia

Resumo

O presente trabalho busca refletir sobre os ecos de Cesário Verde nos poemas de António Botto, principalmente nos trabalhos publicados a partir do final da década de 1930. Nessa fase de produção, os sujeitos poéticos de parte considerável de poemas de Botto apresentam alguns dos aspectos da poesia cesárica, como a estética de um olhar flâneur que deambula por Lisboa e observa os vários tipos sociais que compõem a sua população urbana. Botto, nessas obras, revela uma vertente muito pouco explorada de sua poesia, que é a sua capacidade de análise social. Para pensar o contato entre Cesário e Botto, partimos do método formulado por Silvina Rodrigues Lopes (2012), que indica como a convocação de leituras anteriores dos poetas em análise, da história da poesia, dos variados conhecimentos de temas e das várias ideias pregressas pode ser útil para atribuir uma maior complexidade à leitura do texto poético, já que revela os atritos entre diferentes projetos literários que acabam por movimentar a literatura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BAUDELAIRE, Charles. As flores do mal. Tradução por Júlio Castañon Guimarães. 1ª Edição. São Paulo: Penguin Classics Companhia das Letras, 2019.

BENJAMIN, Walter. Baudelaire e a modernidade. Tradução por João Barrento. 2ª Edição. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

BLACKMORE, Josiah. António Botto’s Bruises of Light. In: BOTTO, António. Songs. 1ª Edição. London: University of Minnesota, 2010, p. IX-XXXVI.

BOTTO, António. O livro do povo. Lisboa: Livraria Eclética, 1944.

BOTTO, António. Poesia. 1ª Edição. Lisboa: Assírio & Alvim, 2018.

BUESCU, Helena Carvalhão. Introdução. In: Verde, Cesário. Cânticos do Realismo: O livro de Cesário Verde. 1ª Edição. Lisboa: Imprensa Nacional, 2015, p. 11-29.

CASCAIS, António Fernando. António Botto, no centro da sua margem. Revue Iberic@al, Revue d’estudes ibériques et ibero-américaines. Paris, n. 19, p. 27-44, Autome 2019.

HIGA, Mário. Introdução. In: VERDE, Cesário. Poemas reunidos. 1ª Edição. Cotia: Ateliê Editorial, 2010, p. 13-60.

JENNY, Laurent. A estratégia da forma. In: JENNY, Laurent et al. Intertextualidades. Tradução por Clara Crabbé Rocha. 1ª Edição. Coimbra: Livraria Almedina, 1979, p. 5-49.

LOPES, Silvina Rodrigues. Literatura, Defesa do atrito. 1ª Edição. Belo Horizonte: Chão da Feira Editora, 2012.

LUGARINHO, Mário César. Literatura de Sodoma: o cânone literário e a identidade homossexual. Gragoatá: Niterói, n. 14, p. 133-145, 1. sem. 2003.

MACEDO, Helder. Nós: uma leitura de Cesário Verde. 1ª Edição. Lisboa: Editorial Presença, 1999.

PERRONE-MOISÉS, Leyla. Cesário Verde: um "astro sem atmosfera”?. Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, n. 3, p. 217-225, 1 dez. 2000.

PESSOA, Fernando. António Botto e o ideal estético em Portugal. In: MASSAUD, Moisés. Modernismo. 1ª Edição. Rio de Janeiro: Bertrand, 2006.

PESSOA, Fernando. Poemas de Álvaro de Campos. 1ª Edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.

PESSOA, Fernando. Poesia Completa de Alberto Caeiro. 1ª Edição. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

PITTA, Eduardo. António Botto. In: PITTA, Eduardo. Aula de Poesia. 1ª Edição. Lisboa: Quartzel Editores, 2010, p. 174-196.

SERRÃO, Joel. Fundamentos e critério da presente edição. In: VERDE, Cesário. Obra completa. 2ª Edição. Lisboa: Livros Horizonte, 1992, p. 9-28.

VERDE, Cesário. Poemas Reunidos. 1ª Edição. Cotia: Ateliê Editorial, 2010.

Downloads

Publicado

2022-09-27

Como Citar

PAULA NETO, O. J. de. ECOS DE CESÁRIO VERDE NA POESIA DE ANTÓNIO BOTTO. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 73, p. 261–283, 2022. DOI: 10.9771/ell.i73.48489. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/48489. Acesso em: 7 dez. 2022.