OS INTELECTUAIS E O MÉTODO

Autores

  • Francisco Mauri de Carvalho Freitas Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v1i1.9838

Palavras-chave:

Teoria, Marxismo, Método, Papel dos intelectuais, Crítica

Resumo

O presente estudo é uma despretensiosa contribuição à questão do método dialético, enquanto processo de investigação e ordenação lógica de uma determinada atividade, neste caso, a produção do conhecimento. O objetivo deste estudo é afirmar como tarefa da crítica reportar que na educação física os inimigos do marxismo ao produzirem pesquisas científicas e discursos apologéticos “desinteressados”, não engajados, reforçam o papel do Estado capitalista e justificam as perversas estruturas sobre as quais está edificada a cidade do capital. À guisa de conclusão, a crítica marxista é indispensável à desobstrução da retórica positivista ainda hegemônica na universidade pública brasileira que deveria ser espaço de deslegitimação da ordem burguesa e reconstrução do real que se revela como história e cujo conteúdo é o mundo criado pelo trabalho e pela luta do homem contra a natureza. Preferindo viver uma existência vazia de princípios, aceitar como inexorável o quotidiano criticado, mudando de lado diante de insignificantes abalos sociais, os intelectuais da ordem continuam vivendo na ilusão e na quimérica esperança sem ação de um mundo onde eles, iluminados, seriam os portadores da iluminação. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Mauri de Carvalho Freitas, Universidade Federal do Espírito Santo - UFES

Doutor em Educação pela UNICAMP. Docente do Cento de Educação Física e Desporto – UFES. Email: chicomauri@hotmail.com 

Downloads

Publicado

2014-03-12

Como Citar

Freitas, F. M. de C. (2014). OS INTELECTUAIS E O MÉTODO. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 1(1), 54–65. https://doi.org/10.9771/gmed.v1i1.9838