MODO DE PRODUÇÃO E EDUCAÇÃO

Autores

  • Edmundo Fernandes Dias Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Marxismo, Modo de produção, Educação, Omnilateralidade

Resumo

Este texto trata das reflexões feitas pelo marxismo acerca da questão da educação na sua relação com o trabalho. Inicia-se situando historicamente o pensamento do Marx e Engels sobre a unificação da educação com a produção material, colocando no centro do debate o conceito de omnilateralidade, compreendido a partir da elaboração feita em Princípios do Comunismo segundo a qual “com o fim da propriedade privada não haverá mais a necessidade de homens ligados a um único ramo da produção, mas que os homens novos possam fazer desabrochar todas as suas aptidões”, conjugação que, segundo eles, “permitiria elevar a classe trabalhadora acima das classes superiores e médias”. Situa a questão da separação entre o conhecimento puramente intelectual e o conhecimento efetivamente prático na obra de Daniel Lindemberg intitulada A Internacional Comunista e a escola de classes, e por fim, aponta as reflexões feitas por Antonio Gramsci. Deste marxista italiano destaca-se a unidade entre formação intelectual e a formação política como condição indispensável para a construção da subjetividade da classe trabalhadora. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edmundo Fernandes Dias, Universidade Estadual de Campinas

Atou como Professor do Departamento de Sociologia, Instituto de Filosofia e Ciência Humana (IFCH) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). 1o Secretário da ADUNICAMP. Coordenador Geral da Associação Brasileira de Educadores Marxistas (ABEM). Email: praxis@lexxa.com.br 

Downloads

Publicado

2009-03-12

Como Citar

Dias, E. F. (2009). MODO DE PRODUÇÃO E EDUCAÇÃO. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 1(1), 34–42. Recuperado de https://periodicos.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/9836