DA PRAGMÁTICA DA ESPECIALIZAÇÃO FRAGMENTADA À PRAGMÁTICA DA LIOFILIZAÇÃO FLEXIBILIZADA: AS FORMAS DA EDUCAÇÃO NO MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA

Autores

  • Ricardo Antunes Universidade Estadual de Campinas

Palavras-chave:

Modo de produção, Educação, Alienação, Estranhamento, Taylorismo, Fordismo, Toyotismo

Resumo

Nossa apresentação procura tratar o tema proposto - Modo de produção e educação – esboçando uma primeira sistematização acerca desta problemática sob a forma de três notas. A primeira nota indica alguns elementos para uma compreensão ampla do conceito de modo de produção em Marx. A segunda nota sugere algumas diferenciações presentes nas diferentes formas da alienação e do estranhamento vigentes no século XX e a terceira nota esboça alguns modos distintos da educação para o capital sob o capitalismo, que denominamos como pragmática da especialização, na variante taylorista-fordista e pragmática da liofilização flexibilizada, na era do toyotismo e da acumulação flexível. Conclui com um excerto breve introduzindo algumas pistas para se pensar a educação para além dos constrangimentos do capital. 

Biografia do Autor

Ricardo Antunes, Universidade Estadual de Campinas

Bolsista de Produtividade em Pesquisa 1B. Orientador de Doutorado. Doutorado em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo, Brasil (1986). Pós-Doutorado pela University of Sussex, Inglaterra (1998). Livre Docência pela Universidade Estadual de Campinas, Brasil (1994). PROFESSOR TITULAR da Universidade Estadual de Campinas , Brasil. Email: rantunes@unicamp.br 

Downloads

Publicado

2009-03-12

Como Citar

Antunes, R. (2009). DA PRAGMÁTICA DA ESPECIALIZAÇÃO FRAGMENTADA À PRAGMÁTICA DA LIOFILIZAÇÃO FLEXIBILIZADA: AS FORMAS DA EDUCAÇÃO NO MODO DE PRODUÇÃO CAPITALISTA. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 1(1), 25–33. Recuperado de https://periodicos.ufba.br/index.php/revistagerminal/article/view/9834