Natureza e sociometabolismo em Marx: contribuições à leitura da crise socioecológica do capital

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v13i2.44584

Palavras-chave:

Marx., natureza, sociedade, sociometabolismo, capitalismo

Resumo

O presente texto tem, como objetivo, discutir os conceitos de natureza e de sociometabolismo nos escritos de Marx e, em um segundo plano, apontar as implicações de tais conceitos na compreensão das formas históricas contemporâneas do sistema do capital. Partindo da premissa – fundamentada em uma já importante e extensa bibliografia – de que a crítica da economia política de Marx é capaz de fornecer elementos fundamentais para a análise do metabolismo entre a sociedade e a natureza, pretendemos examinar a proficuidade do pensamento marxista no enfrentamento a uma das questões mais dramáticas e inquietantes do nosso tempo: a crise socioecológica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernando Bilhalva Vitória, Fundação Universidade Federal de Rondônia.

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Pelotas. Docente do Departamento de Educação do Campo da Fundação Universidade Federal de Rondônia. Lider do Grupo de pesquisa: Natureza, sociedade e capitalismo na Amazônia Lattes. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/7880115558654753. Orcid: http://orcid.org/0000-0002-7783-0251. E-mail: fernandobilhalva@unir.br.

Cleder Fontana, Universidade Federal de Santa Maria.

Doutor em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente do Departamento de Geociências da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/3457235192111820. Orcid: http://orcid.org/0000-0002-3755-6681. E-mail: clederfontana@gmail.com.

Referências

ALTVATER, E. Existe um marxismo ecológico? In: BORON, A.; AMADEO, J.; GONZÁLEZ, S. (org.). A teoria marxista hoje: problemas e perspectivas. São Paulo: Expressão Popular/CLACSO, 2007.

ALTVATER, E. El Capital y el Capitaloceno. Mundo Siglo XXI: Revista del CIECAS-IPN, v. IX, n. 33, 2014.

BURKETT, P. Marxismo e ecologia. [Entrevista cedida em julho de 2007]. Disponível em: http://www.odiario.info/?p=371. Acesso em: 20 jun. 2020.

CONCEIÇÃO, G. H. da; ANTUNES, J. Questões acerca da chamada dialética da natureza. Educare et Educare, UNIOESTE, v. 3, n. 6, jul./dez. 2008.

FERNANDES, F. (org.). Marx-Engels (História). São Paulo: Ática, 1989.

FERNÁNDEZ DURÁN, R. El Antropoceno: la expansión del capitalismo global choca con la biosfera. Barcelona: Virus, 2011.

FOLADORI, G. Los límites del desarollo sustentable. Montevideo: Ediciones de La Banda Oriental, 1999.

FOSTER, J. B. A ecologia da destruição. Revista Eletrônica O Comuneiro, n. 4, mar. 2007. Disponível em: http://www.ocomuneiro.com/nr04_01_JOHN_BELLAMY.html. Acessado em: 20 jun. 2020.

FOSTER, J. B. A ecologia de Marx: materialismo e natureza. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

FOSTER, J. B.; CLARK, B. A dialética do metabolismo socioecológico: Marx, Mészáros e os limites absolutos do capital. Margem Esquerda, São Paulo, Boitempo, n. 14, maio de 2010.

HARVEY, D. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 2010.

HARVEY, D. O enigma do capital e as crises do capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2011.

MACHADO, L. C. P.; MACHADO FILHO, L. C. P. Dialética da agroecologia. São Paulo: Expressão Popular, 2014.

MARX, K. Crítica do Programa de Gotha. São Paulo: Boitempo, 2012.

MARX, K. Formações econômicas pré-capitalistas. São Paulo: Paz e Terra, 1991.

MARX, K. Grundrisse. São Paulo: Boitempo, 2011.

MARX, K. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004.

MARX, K. O Capital: crítica da Economia Política. Livro I, Volume I. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

MARX, K. O Capital: crítica da Economia Política. Livro I, Volume II. São Paulo: Nova Cultural, 1985a.

MARX, K. O Capital: crítica da Economia Política: Livro I. O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, K. O Capital: crítica da Economia Política. Livro I, Volume I. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008a.

MARX, K. O Capital: crítica da Economia Política. Livro I, Volume II. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008b.

MARX, K. Trabalho alienado e superação positiva da auto-alienação humana. In: FERNANDES, F. (Org.). Marx-Engels (História). São Paulo: Ática, 1989.

MARX, K; ENGELS, F. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã e seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas (1845-1846). São Paulo: Boitempo, 2007.

MARX, K; ENGELS, F. Crítica da educação e do ensino. Lisboa: Moraes Editores, 1978.

MOLINA, M. G. de; TOLEDO, V. M. Metabolismos, naturaleza e historia: hacia una teoría de las transformaciones sociológicas. Barcelona: Icaria/Perspectivas Agroecológicas, 2011.

MOHUN, S. Processo de trabalho. In: BOTTOMORE, T. Dicionário do pensamento marxista. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

PALUDO, C.; THIES, V. F. (Org.). Do campo em construção. Ijuí: Ed. Unijuí; Ronda Alta: Fundep, 2008.

SCHMIDT, A. El concepto de naturaleza en Marx. Madrid: Siglo XXI, 1976.

Downloads

Publicado

2021-09-17

Como Citar

Vitória, F. B., & Fontana, C. (2021). Natureza e sociometabolismo em Marx: contribuições à leitura da crise socioecológica do capital. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 13(2), 92–109. https://doi.org/10.9771/gmed.v13i2.44584