As políticas educacionais e o processo de fechamento das escolas do campo no município de Casa Nova - BA

Autores

  • Franciel Coelho Luz de Amorim Universidade de Pernambuco - UPE / Prefeitura Municipal de Petrolina
  • Maria Jorge dos Santos Leite Universidade de Pernambuco - UPE

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v13i2.43555

Palavras-chave:

Casa Nova – BA., políticas educacionais, fechamento das escolas do campo, transporte escolar

Resumo

O objetivo desse artigo é mapear as principais políticas educacionais e suas implicações à educação no campo. Abordamos o processo de fechamento das escolas do campo no município de Casa Nova - BA, considerando este um dos principais efeitos das políticas educacionais do Estado brasileiro direcionadas ao campo: as escolas foram reduzidas em quase 50%, de 2010 a 2018. A educação camponesa passou por um intenso processo de fechamento, o qual foi desencadeado a partir da política de transporte escolar, ainda na década de 1990, transformando-se, não em uma política propriamente de educação, mas em uma política de transporte (negócio), cujas velhas práticas locais e interesses privados sobrepõem-se à premissa da educação pública, gratuita e de qualidade. A análise em estudo ancora-se no materialismo histórico-dialético. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Franciel Coelho Luz de Amorim, Universidade de Pernambuco - UPE / Prefeitura Municipal de Petrolina

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinares (PPGFPPI), Universidade de Pernambuco - UPE Campus Petrolina. Graduado em História pela mesma instituição e Pedagogia pela Faculdade de Educação Superior de Pernambuco (FAESPE). Atualmente é Professor da educação básica, atuando como Coordenador Pedagógico do Município de Petrolina/PE. É integrante do Grupo de Pesquisa História e Memória (UPE). Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5476667900651035. Orcid: http://orcid.org/0000-0002-4356-2914. E-mail: francielupe@gmail.com.

Maria Jorge dos Santos Leite, Universidade de Pernambuco - UPE

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Atualmente é professora adjunta do Colegiado de Nutrição da Universidade de Pernambuco (UPE), Campus Petrolina. Atua como professora permanente do Programa de Pós-graduação em Formação de Professores e Práticas Interdisciplinas (PPGFPPI) da UPE. Integrante do Grupo de Pesquisa em História e Educação do Sertão do São Francisco (GEPHESF) e do grupo de Pesquisa História e Memória (UPE). Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5169954250280873. Orcid: http://orcid.org/0000-0001-5655-1184. E-mail: maria.leite@upe.br.

Referências

BANCO MUNDIAL. Prioridades y estrategias para la educación: examen del Banco Mundial. Washington: DC/Banco Mundial, 1996. (El desarrollo en la práctica). 218p.

BANCO MUNDIAL. Estrategia sectorial de educación: Grupo del Banco Mundial, Red sobre Desarrollo Humano. Washington, DC/Banco Mundial, 2000.

BANCO MUNDIAL. Atingindo uma Educação de Nível Mundial no Brasil: próximos passos – sumário executivo. 2010. Disponível em: <http://cenpec.org.br/biblioteca/educacao/estudos-e-pesquisas/achieving-world-class-education-in-brazil-the-next-agenda>. Acesso em: 10 abr. 2017.

BRASIL. FNDE recebe missão do Banco Mundial. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, Ministério da Educação – MEC. 2007. Disponível em: <http://www.fnde.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/area-de-imprensa/noticias/item/1314-fnde-recebe-miss%C3%A3o-do-banco-mundial>. Acesso em: 22 jun. 2017.

BRASIL. Ministério da Integração Nacional. Região Integrada de Desenvolvimento - RIDE Petrolina-Juazeiro. 19 de maio de 2015. <http://www.mi.gov.br/regiao-integrada-de-desenvolvimento-do-polo-petrolina-e-juazeiro>. Acesso em: 19 jun. 2017.

BRASIL. LEI Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Presidência da República. Casa Civil: Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, 20 dez. 1996.

BRASIL. LEI Nº 9424 de 24 de dezembro de 1996. Dispõe sobre o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério. Presidência da República. Casa Civil: Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, 24 dez. 1996.

BRASIL. FUNDEB - Manual de orientação. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, Ministério da Educação – MEC. 2009. Disponível em: <ftp://ftp.fnde.gov.br/web/fundeb/manual_orientacao_fundeb.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2018.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo Agropecuário 2006: Brasil, Grandes Regiões e Unidades da Federação. Rio de Janeiro: IBGE, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo agropecuário: resultados preliminares. Brasília, 2006.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo demográfico 2010. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/>. Acesso em: 22 jun. 2017.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA - INEP. Panorama da Educação do Campo. Brasília: INEP, 2007.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA - INEP. Sinopse Estatística da Educação Básica (2010 a 2017). Brasília: INEP, 2018. Disponível em: <http://inep.gov.br/web/guest/sinopses-estatisticas-da-educacao-basica>. Acesso em: 22 abr. 2018.

JESUS, A. C.; BEZERRA, M. C. S. A herança colonial e as implicações na educação do campo no Brasil. Rev. HISTEDBR On-line, Campinas, n. 50 (especial), 2013. p. 238-250.

JUNQUEIRA, V. H. Educação, trabalho e ideologia: análise da relação agronegócio e educação na região de Ribeirão Preto – SP. 2014. 212 f, Dissertação (Mestrado em Educação). Universidade Federal de São Carlos, São Carlos. 2014.

JUNQUEIRA, V. H. A quem interessa a educação dos trabalhadores do campo? Uma análise do PRONACAMPO. Rev. Exitus. Santarém-PA, v. 5, n. 2, p. 83-100, Jul./Dez. 2015.

MARIÁTEGUI, José Carlos. Sete ensaios de interpretação da realidade peruana. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

MOVIMENTO DOS ATINGIDOS POR BARRAGENS (MAB). Fechar Escolas é crime! Em defesa dos direitos dos atingidos(as) de Sobradinho de estudar, dizemos não a nucleação! 22 fev. 2018. Disponível em: <http://www.mabnacional.org.br/noticia/fechar-escolas-crime>. Acesso em: 10 abr. 2018.

MOTA JUNIOR, W. P.; MAUÉS, O. C. O Banco Mundial e as Políticas Educacionais Brasileiras. Educação & Realidade, v. 39, n. 4, Out./Dez., 2014, pp. 1137-1152.

PASSOS, Waldiney. Casa Nova: jornada pedagógica reúne centenas de professores e prefeito renova compromisso de uma educação de qualidade. Blog. 18 de Fevereiro de 2018. Disponível em: <http://www.waldineypassos.com.br/casa-nova-jornada-pedagogica-reune-centenas-de-professores-e-prefeito-renova-compromisso-de-uma-educacao-de-qualidade/>. Acesso em: 22 abr. 2018.

PEREIRA, J. M. M. Poder, política e dinheiro: a trajetória do Banco Mundial entre 1980 e 2013. In: PEREIRA, J. M. M.; PRONKO, M. (Org.). A demolição de direitos: um exame das políticas do Banco Mundial para a educação e a saúde (1980-2013). Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, 2014. p.19-63.

SAVIANI, D. Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre educação e política. 32 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 1999.

SOUZA, M. M. Imperialismo e educação do campo. Araraquara: Cultura Acadêmica, 2014.

TAFFAREL, C. Z.; MUNARIM, A. Pátria educadora e fechamento de escolas do campo: o crime continua. Revista Pedagógica, Chapecó, v. 17, n. 35, p. 41-51, maio/ago. 2015.

Downloads

Publicado

2021-09-17

Como Citar

Amorim, F. C. L. de, & Leite, M. J. dos S. (2021). As políticas educacionais e o processo de fechamento das escolas do campo no município de Casa Nova - BA. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 13(2), 676–694. https://doi.org/10.9771/gmed.v13i2.43555