Destruição de forças produtivas e o rebaixamento da formação da classe trabalhadora: o caso da reforma da BNCC do ensino médio

Autores

  • Celi Nelza Zulke Taffarel UFBA
  • José Arlen Beltrao UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECONCAVBO DA BAHIA

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v11i1.32000

Palavras-chave:

Reforma do ensino médio, BNCC, Destruição de forças produtivas

Resumo

Este texto objetiva explicar os nexos e relações entre a destruição de forças produtivas e o rebaixamento da formação escolar dos filhos da classe trabalhadora. Discute os elementos centrais e as principais contradições do imperialismo e analisa as mudanças fundamentais promovidas pela lei n. 13.415/2017 e a BNCC do ensino médio, apontando os nexos e relações com o processo de destruição de forças produtivas. Foi possível constatar que esses dispositivos acentuam a tendência de esvaziamento científico do currículo escolar e de desqualificação dos jovens trabalhadores ainda no seu processo de escolarização básica. Além disso, integram o movimento de ofensiva do imperialismo no Brasil, de destruição dos serviços públicos e de forças produtivas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celi Nelza Zulke Taffarel, UFBA

Celi Nelza Zülke Taffarel Departamento III - Educação Física da FACED UFBA, Professora Titular Pesquisadora 1 D do CNPq. Iniciou estudos de Graduação em Educação Física na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, 1974) e concluiu na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE, 1976). Estudou também no Curso de Filosofia da Universidade Católica de Pernambuco (1977-1978). Possui especialização em Ciências do Esporte pela Universidade Federal de Pernambuco (1981), mestrado em Ciência do Movimento Humano pela Universidade Federal de Santa Maria (1982), doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (1993) e pós-doutorado pela Universitat de Oldenburg, Alemanha (1999). Atuou em Seminários Internacionais, sob a Coordenação do Intercâmbio Acadêmico com o Professor Dr. Reiner Hildebrandt-Straman da Universidade de Braunschweg, em instituições de Portugal, Espanha e Alemanha. Pesquisadora Nível 1 do CNPq. Diretora da Faculdade de Educação da UFBA (Gestão 2008 a 2011). Foi Presidente do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE) por duas gestões (1987-1989; 1989-1991). Compôs direção do ANDES-SN no bloco da Tesouraria (2000-2002) e exerceu a função de Secretaria Geral do ANDES-SN (2002-2004). É professora Titular da FACED/UFBA, ex-coordenadora do Curso de Licenciatura em Educação Física da FACED/UFBA. Coordenou o Primeiro Curso de Metodologia do Ensino e da Pesquisa em Educação Física, Esporte e Lazer da FACED/UFBA e, atualmente, é coordenadora do Curso Especial de Licenciatura em Educação do Campo da FACED/UFBA, http://www2.faced.ufba.br/educacampo, projeto piloto no Brasil, juntamente com as Universidades UnB, UFMG, UFS, UFBA. Atuou no Curso de Pedagogia da Terra, no Centro de Formação do MST Carlos Marighella no extremo sul da Bahia. Coordenou o Projeto de Elevação de Escolarização de Trabalhadores Rurais Sem Terra pelo PRONERA na FACED/UFBA (2003-2005). Representa a UFBA no Colegiado estadual do PRONERA da Bahia (2008-2011). Participa da coordenação do Grupo de Pesquisa LEPEL/FACED/UFBA http://www.lepel.ufba.br/rede.htm, e da REDE LEPEL nordeste que integra Grupos da UFPb, UFRPE, UFAL, UFS, UFRB, UEFS, juntamente com o professor Dr. Claudio de Lira Santos Júnior (2000-2011). Coordena o Pólo da REDE CEDES – Centro de Desenvolvimento do Esporte Recreativo e de Lazer, relacionado com o LEPEL/FACED/UFBA http://www.faced.ufba.br/redecedesufba/redecedesufba2index_arquivos/page0001.htm , e o Pólo de Referência em Educação do Campo da UFBA. Contribuiu com a formação de 80 pós-graduandos, especialistas, mestres e doutores e publicou mais de 200 textos em livros, periódicos. Em meios eletrônicos são, aproximadamente, 245 textos publicados http://www.rascunhodigital.faced.ufba.br/ com mais de 27 mil acessos. Coordena atualmente a pesquisa sobre Diagnóstico Nacional do Esporte. Tem experiência acumulada no exercício da docência, na realização de pesquisas e de atividades de extensão em duas grandes linhas: Educação Física, Esporte e Lazer, com ênfase em: Trabalho Pedagógico; Epistemologia, Metodologia do Ensino e da Pesquisa, Produção do conhecimento científico em Educação Física, Esporte e Lazer; Políticas Públicas de Esporte e Lazer; Ensino e Aprendizagem em conteúdos específicos do Esporte e da Ginástica; Projeto Político Pedagógico, Currículo e Diretrizes Curriculares para a Educação Física, Esporte e Lazer. Educação, com ênfase na Educação do Campo, atuando na Escola do Campo, na Formação de Professores para a Escola do Campo – Licenciatura em Educação do Campo, na produção do conhecimento sobre Educação do Campo, Políticas Públicas para a Educação do Campo, projeto político pedagógico e trabalho pedagógico, na Educação do Campo. É Militante cultural, internacionalista, da IV Internacional Reproclamada, colaborando com movimentos de luta social da classe trabalhadora – nos sindicato, no partido e, em movimentos de trabalhadores, Sem Terra (MST) e Desempregados (MTD). Endereço: FACED

José Arlen Beltrao, UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECONCAVBO DA BAHIA

Professor Adjunto Do Centro de Formacao de Professores da UFRB. Doutor em Educacao pelo PPGE FACED UFBA

Referências

BELTRÃO, J. A. Novo ensino médio: o rebaixamento da formação, o avanço da privatização e a necessidade de alternativa pedagógica crítica na educação física. 2019. 267 f. Tese (Doutorado em Educação) –Faculdade de Educação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2019.

BELTRÃO, J. A.; TAFFAREL, C. A ofensiva dos reformadores empresariais e a resistência de quem defende a educação pública. Retratos da Escola, Brasília, v. 11, n. 21, p. 587-601, jul./dez. 2017.

BEZERRA FILHO, J. M. Exposição de motivos da Reforma do Ensino Médio n. 84/2016/MEC. Medida Provisória n. 746 de 22 de setembro de 2016.

BOITO JR., A. Reforma e crise política no Brasil: os conflitos de classe nos governos do PT. Campinas, SP: Editora Unicamp / São Paulo, SP: Editora Unesp, 2018.

BRASIL. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 e 11.494, de 20 de junho de 2007, e a Consolidação das Leis do Trabalho – CLT. In.: Diário Oficial da União, 17 de fevereiro de 2017, pp. 1-3.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Base Nacional Comum Curricular. Educação é Base – Ensino Médio. MEC: Brasília, 2018a. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/wp-content/uploads/2018/12/BNCC_19dez2018_site.pdf. Acesso em: 02 de fevereiro de 2019.

BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO. Câmara de Educação Básica (CEB). Resolução CNE/CEB n. 3, de 21 de novembro de 2018. Atualiza as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Diário Oficial da União, Brasília, 22 nov. 2018b, seção 1, pp. 21-24.

DUARTE, N. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. 3ª ed. Campinas/SP: Autores Associados, 2004.

HARVEY, D. 17 Contradições e o fim do capitalismo. São Paulo: Boitempo, 2016.

LENIN, V. I. O Imperialismo, fase superior do capitalismo. Brasília: Nova Palavra, 2007.

MARX, K. O Capital: crítica da Economia Política. Livro I. 32ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

MARX, K. Contribuição à crítica da economia política. 2ª ed. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MARX, K. Miséria da filosofia: resposta à Filosofia da miséria, do Sr. Proudhon. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

MONTORO, X. A. La Necesidad Del Marxismo para Comprender el Significa do Histórico de la Crisis. In.: CORSI, F. L.; ALVES, G. Crise do Capitalismo Global: O Capital e Suas Contradições. Bauru: Editora Praxis, 2018.

MONTORO, X. A. Capitalismo y Economía Mundial: bases teóricas y análisis empírico para la comprensión de los problemas económicos del siglo XXI. Madrid: Instituto Marxista de Economía, 2014.

MOTTA, V. C.; LEHER, R.; GAWRYSZEWSKI, B. A pedagogia do capital e o sentido das resistências da classe trabalhadora. Brasília, Ser Social, v. 20, n. 43, p. 310-328, jul.-dez. 2018.

OIT. World Employment and Social Outlook: Trends 2017. International Labour Office – Geneva: ILO, 2017.

OLIVEIRA, R. P. A transformação da educação em mercadoria no Brasil. Educ. Soc., Campinas, v. 30, n. 108, p. 739-760, out. 2009.

OXFAM. A distância que nos une: um retrato das desigualdades brasileiras. Editoração: Brief Comunicação, 2017.

PAULO NETTO, J.; BRAZ, M. Economia política: uma introdução crítica. 8ª ed. São Paulo: Cortez, 2012.

PERET, E. Desemprego atinge 14 milhões de pessoas em abril. Agência de Notícias IBGE, 31/05/2017. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/10000-desemprego-atinge-14-milhoes-de-pessoas-em-abril. Acesso em 16 de novembro de 2018.

PINTO, E. C.; PINTO, J. P. G.; SALUDJIAN, A.; NOGUEIRA, I.; BALANCO, P.; SCHONERWALD, C.; BARUCO, G. A Guerra de Todos Contra Todos: a crise brasileira. Instituto de Economia da UFRJ. Disponível em: <http://www.ie.ufrj.br/images/pesquisa/publicacoes/discussao/2017/tdie0062017pinto-et-al.pdf>. Acesso em 20 de julho de 2017.

RAMOS, M.; FRIGOTTO, G. Medida provisória 746/2016: a contra-reforma do ensino médio do golpe de estado de 31 de agosto de 2016. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 70, p. 30-48, dez. 2016.

SANTOS JÚNIOR, C. L. A pedagogia histórico-crítica e o papel da escola e do professor: elementos para pensar a escola da transição. Pedagogia histórico–crítica: legado e perspectivas. Uberlândia: Navegando Publicações, 2018.

SAVIANI, D. A nova lei da educação: trajetória, limites e perspectivas. 8ª ed. Campinas/SP: Autores Associados, 2003.

SAVIANI, D.; DUARTE, N. Prefácio. In.: SAVIANI, D.; DUARTE, N. (Orgs.). Pedagogia Histórico-Crítica e luta de classes na educação escolar. Campinas-SP: Autores Associados, 2012.

UNESCO. Reforma da educação secundária: rumo à convergência entre a aquisição de conhecimento e o desenvolvimento de habilidade. Brasília: UNESCO, 2008.

WORLD BANK. Learning for All: Investing in People’s Knowledge and Skills to Promote Development - World Bank Group Education Strategy 2020. World Bank, 2011.

Downloads

Publicado

2019-09-16

Como Citar

Taffarel, C. N. Z., & Beltrao, J. A. (2019). Destruição de forças produtivas e o rebaixamento da formação da classe trabalhadora: o caso da reforma da BNCC do ensino médio. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 11(1), 103–115. https://doi.org/10.9771/gmed.v11i1.32000