Impeachment no Brasil: O governo Temer e a privatização nas universidades públicas brasileiras

Autores

  • Julio Carlos Figueiredo Programa de Políticas Públicas e Formação Humana da Universidade do Rio de Janeiro (PPFH/UERJ) e Universidade Federal Fluminense (UFF)

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v9i3.22998

Palavras-chave:

Privatizações nas universidades públicas brasileiras – Impeachment no Brasil, Governo Temer e o ensino superior público – Crise econômica e política no Brasil e a Educação Superior Pública.

Resumo

Este trabalho trata da questão do avanço das privatizações nas universidades públicas brasileiras ao avaliar, ainda que de forma a preliminar, as principais iniciativas do governo Michel Temer que confluem nesta direção. A iniciativa de diminuir a oferta de vagas nas universidades públicas e as facilidades para a ação de grupos privados internacionais – seja incorporando ou associando-se a grupos privados brasileiros - ampliando sua presença no ensino superior no país confirma a linha política adotada. Trata-se mais uma vez de iniciativas de corte neoliberal que buscam recuperar as taxas de acumulação de capital em um cenário de crise econômica e política agravada no período pós-impeachment de Dilma Rousseff. A aprovação da PEC 55 revela o sentido geral dessa política que transfere aos trabalhadores a responsabilidade pela solução da crise, promovendo de imediato o aumento do desemprego, a retirada de investimentos em saúde e educação ao mesmo tempo em que garante o pagamento da divida publica ao capital financeiro. A privatização das universidades públicas brasileiras desde o governo FHC, tendo prosseguimento nos períodos de Lula da Silva e Dilma Rousseff caracteriza um processo em curso onde o ensino público, em particular o ensino superior, está submetido a uma dupla apropriação: enquanto mercadoria e como setor público a serviço da acumulação privada. Assim, a área de educação, segmento tido inicialmente como pouco atrativo, passa a ser cobiçada pelo mercado e se destaca no conjunto de iniciativas do atual governo visando uma nova fase de privatizações no país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julio Carlos Figueiredo, Programa de Políticas Públicas e Formação Humana da Universidade do Rio de Janeiro (PPFH/UERJ) e Universidade Federal Fluminense (UFF)

Julio Carlos Figueiredo, doutorando no Programa de Políticas Públicas e Formação Humana da Universidade do Rio de Janeiro (PPFH/UERJ), concluiu o mestrado em Administração na UFF, a especialização pelo ISOP/FGV e graduou-se em psicologia pela Faculdade de Humanidades Pedro II - Fahupe/RJ. Professor Adjunto IV no departamento de Psicologia da UFF desde 1984 atuando na área de Psicologia Organizacional e do Trabalho. Leciona no Curso de Especialização em Administração Pública-CEAP/FESP/RJ. Participa do grupo THESE - Projetos Integrados de Pesquisas em Trabalho, História, Educação e Saúde (UFF/UERJ/EPSJV/Fiocruz) e coordena projeto de pesquisa sobre Prestação de Serviços na universidade pública desde 2004. Apresentou mais de 30 trabalhos em congressos científicos incluindo no XXX International Congress of Psychology at the Cape Town/South Africa/2012, no II Congresso Iberoamericano de Psicologia das Organizações e do Trabalho/2011, participou de banca de mais de 60 monografias e de bancas de professor substituto na UFF. Desenvolve desde 1981 trabalhos de consultoria na área de Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas junto à Petrobras e a diversas organizações no Brasil. Participou como membro fundador da ABRAPSO - Associação Brasileira de Psicologia Social em 1980. 

Downloads

Publicado

2017-12-16

Como Citar

Figueiredo, J. C. (2017). Impeachment no Brasil: O governo Temer e a privatização nas universidades públicas brasileiras. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 9(3), 161–181. https://doi.org/10.9771/gmed.v9i3.22998