CRÍTICA DA POLÍTICA EDUCACIONAL

Autores

  • Elza Margarida de Mendonça Peixoto UFBA

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v9i1.22419

Palavras-chave:

Crítica, Política, Economia Política

Resumo

Apanhar múltiplas determinações da política educacional no Brasil é a tarefa – não necessariamente esgotada – que este V. 9, N. 1 de Germinal: Marxismo e Educação em Debate se impõe, em uma Conjuntura em que a luta de classes não dá trégua, o capital avança vorazmente contra direitos civis, políticos, sociais e trabalhistas e a classe trabalhadora brasileira – derrotada e dividida (IASI, 2017, p. 376) em decorrência do apassivamento do último período – principia o processo de ocupar as ruas em resistência!! Nos últimos 10 meses o ilegítimo Governo Temer – com um dos menores índices de aprovação da história dos Governos no Brasil (4%), o que demonstra que ser impopular não é sufiente para derrubar um governo – segue empenhado num conjunto de reformas trabalhista, da previdência e educacional assentadas numa agenda conservadora, configurando-se uma reforma constitucional, que, nos limites de referência da democracia burguesa, não passou pelo crivo das urnas.

Biografia do Autor

Elza Margarida de Mendonça Peixoto, UFBA

Dra. em Educação. Editora da Revista Germinal: Marxismo e Educação em Debate.

Downloads

Publicado

2017-05-30

Como Citar

Peixoto, E. M. de M. (2017). CRÍTICA DA POLÍTICA EDUCACIONAL. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 9(1), 1–13. https://doi.org/10.9771/gmed.v9i1.22419