QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DE CHUVA ARMAZENADA EM CISTERNAS NA ÁREA RURAL DE INHAMBUPE, NO SEMIÁRIDO BAIANO, E SEUS FATORES INTERVENIENTES

Autores

  • Nara de Melo Dantas Silva UFBA
  • Louisa Wessels Perello UFBA
  • Luiz Roberto Santos Moraes UFBA

DOI:

https://doi.org/10.9771/gesta.v2i1.9270

Resumo

Com a existência da problemática de carência hídrica no Semiárido Brasileiro devido aos fatores climáticos e edáficos, o sistema de captação e armazenamento de água de chuva, mostra-se como uma solução para o abastecimento de água, melhorando a qualidade de vida dos habitantes das regiões semiáridas, inclusive dos moradores de Inhambupe. Ao estudar os fatores intervenientes da água de chuva armazenada em cisternas da zona rural do município de Inhambupe, pode-se concluir que existe a possibilidade dos microrganismos, bioindicadores e/ou patogênicos, e a matéria orgânica adentra nas cisternas por meio: da ausência do desvio da primeira água, da não existência de calha de proteção das cisternas, da forma inadequada de retirada de água do interior da cisterna, da existência de árvores próximas à superfície de coleta e da criação de animais, como porcos, galinhas e a presença de curral, ocorrendo a entrada de impurezas, estas podem permanecer no interior da cisterna, caso a família não realize sua limpeza periódica e dos seus componentes. Na avaliação da qualidade microbiológica da água de chuva armazenada nas cisternas estudadas, a maioria das amostras analisadas (78,1%) apresentaram coliformes termotolerantes. Com relação a presença de bactérias heterotróficas se faz presente em todas as análises de amostras de água de todas as cisternas estudadas. Aplicando-se o planejamento fatorial para identificar os fatores intervenientes da qualidade microbiológica da água das cisternas, tendo como variável resposta ‘coliformes termotolerantes’, e levando-se em consideração a presença dos fatores analisados a um nível de confiança de 10%, os fatores que apresentaram efeitos significativos foram: Balde*Limpeza*Falta Desvio, Falta Desvio, Árvores, a interação dos quatros fatores estudados - Balde*Limpeza*Árvores*Falta Desvio e Árvores*Falta Desvio. Para a variável resposta bactérias heterotróficas, sendo considerado o mesmo nível de confiança, foram encontrados os seguintes fatores que proporcionaram influência significativa: Árvores e Balde*Árvores*Falta Desvio. Para os resultados encontrados e buscando-se a melhoria da qualidade da água de chuva armazenada em cisternas, sugere-se que as variáveis significantes estejam ausentes no SAAC, de forma a melhorar a qualidade da água captada.

Biografia do Autor

Nara de Melo Dantas Silva, UFBA

Estudou graduação em Engenharia Ambiental na Faculdade de Tecnologia e Ciências (FTC), Campus Salvador. Fez MBA em Sistema de Gestão da Qualidade, Saúde e Meio Ambiente, na Universidade Salvador (UNIFASCS). E por último, cursou o mestrado em Meio Ambiente, Águas e Saneamento, na Universidade Federal da Bahia (UFBA), no Departamento de Engenharia Ambiental, com área de atuação em Meio Ambiente.

Louisa Wessels Perello, UFBA

Possui graduação em Biologia - Rheinische Friedrich Wilhelms Universitaet Bonn (1999), e doutorado em Ciências Naturais - Technische Universitat München (2003). Tem experiência na área de Ecologia e Microbiologia, com ênfase em microbiologia ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: microalgas, qualidade da água, ecotoxicologia e biorremediação. De Janeiro até Setembro 2010 foi bolsista do CNPq no projeto ;Montagem de um processo de produção de biodiesel a partir de microalgas;. Desde Setembro 2010 é professora adjunto no Departamento de Engenharia Ambiental da Escola Politécnica da UFBA.

Luiz Roberto Santos Moraes, UFBA

Graduado em Engenharia Civil pela Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia (1973), com especialização em Engenharia Sanitária e em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (1974), mestrado em Engenharia Sanitária pela Delft University of Technology-NE (1977) e doutorado em Saúde Ambiental pela University of London-UK (1996). Fez estágio pós-doutoral em Gestão de Saneamento Básico na Universidade do Minho-PT (2005) e encontra-se realizando estágio pós-doutoral em Saneamento Ambiental e Saúde na Universitat de Barcelona-ES (2014). Professor Titular em Saneamento e Participante Especial do Mestrado em Meio Ambiente, Águas e Saneamento-MAASA da Escola Politécnica e do Programa de Pós-Graduação em Saúde, Ambiente e Trabalho-PPGSAT da Faculdade de Medicina da Bahia da Universidade Federal da Bahia, Editor da Revista Eletrônica Gestão e Tecnologias Ambientais-GESTA, da UFBA, UFRB, UEFS, UMinho-PT e UCoimbra-PT, membro do Conselho Editorial Científico da Revista Engenharia Sanitária e Ambiental da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental-ABES e da Revista Engenharia Civil/Civil Engineering da UMinho-PT, e fundador do Grupo Ambientalista da Bahia-GAMBÁ. Tem trabalhado na área de Engenharia Sanitária e Ambiental, com ênfase em Saneamento Ambiental, principalmente, nos campos do saneamento ambiental, saúde ambiental e política, gestão e planejamento de saneamento básico.

Downloads

Publicado

2014-09-04

Como Citar

Silva, N. de M. D., Perello, L. W., & Santos Moraes, L. R. (2014). QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DA ÁGUA DE CHUVA ARMAZENADA EM CISTERNAS NA ÁREA RURAL DE INHAMBUPE, NO SEMIÁRIDO BAIANO, E SEUS FATORES INTERVENIENTES. Revista Eletrônica De Gestão E Tecnologias Ambientais, 2(1), 172–187. https://doi.org/10.9771/gesta.v2i1.9270

Edição

Seção

Artigos Originais