BIODISPONIBILIDADE DE METAIS TÓXICOS EM SEDIMENTOS DO RIO SUBAÉ, BAHIA, BRASIL

Autores

  • Jucelino Balbino da Silva Júnior Universidade Federal da Bahia
  • Sérgio Telles de Oliva Universidade Federal da Bahia
  • Magda Beretta Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.9771/gesta.v4i2.14864

Resumo

Este trabalho avaliou a biodisponibilidade dos metais Pb, Cd, Zn, Cu e Ni, empregando a técnica dos sulfetos voláteis em ácido (AVS) e metais simultaneamente extraídos (SEM), contemplando período chuvoso e de estiagem. As amostras de sedimento foram coletadas em 10 (dez) estações ao longo da bacia do rio Subaé, desde a sua nascente até a foz na Baía de Todos os Santos (BTS). Os metais liberados durante a extração foram analisados usando espectrometria de fluorescência de raios-X (TXRF) e espectrometria de absorção atômica com otimização eletrotérmica em forno de grafite (GFAAS), e os sulfetos voláteis foram quantificados utilizando potenciometria com eletrodo de íon seletivo (IES). A partir dos resultados obtidos, pode-se concluir, em função dos valores encontrados para os sulfetos e da matéria orgânica, que as concentrações de metais apresentaram valores que caracterizam a possibilidade de efeitos biológicos adversos para a biota nas regiões de baixa salinidade, em ambos os períodos.

Biografia do Autor

Jucelino Balbino da Silva Júnior, Universidade Federal da Bahia

Especialista em Gestão Ambiental com Tecnologias Limpas

Sérgio Telles de Oliva, Universidade Federal da Bahia

Doutor em Química Analítica Ambiental -                    Professor do Departamento de Química Analítica

Magda Beretta, Universidade Federal da Bahia

Doutora em Química Analítica Ambiental -                   Professora do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental

Downloads

Publicado

2016-12-14

Como Citar

da Silva Júnior, J. B., de Oliva, S. T., & Beretta, M. (2016). BIODISPONIBILIDADE DE METAIS TÓXICOS EM SEDIMENTOS DO RIO SUBAÉ, BAHIA, BRASIL. Revista Eletrônica De Gestão E Tecnologias Ambientais, 4(2), 181–192. https://doi.org/10.9771/gesta.v4i2.14864

Edição

Seção

Artigos Originais