A PROBLEMÁTICA ENUNCIATIVA EM CHARGES DURANTE A PANDEMIA:

UMA ANÁLISE SOCIODISCURSIVA DAS REPRESENTAÇÕES DOS MINISTROS DA SAÚDE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.v0i77.55132

Palavras-chave:

Análise do Discurso, Teoria Semiolinguística, Covid-19, Charges

Resumo

No cenário da pandemia de Covid-19 no Brasil, o Ministério da Saúde apresentou uma instabilidade de gestores: de 2020 a 2022, o comando foi alterado quatro vezes, tendo como ministros Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich, Eduardo Pazuello e Marcelo Queiroga. Diante desse contexto, objetivamos descrever e analisar sociodiscursivamente as representações, em charges, do ministro da saúde durante a pandemia. Como base teórico-metodológica, utilizamos a Teoria Semiolinguística (TS) de Patrick Charaudeau. Assim, os resultados parciais indicaram que a representação do ministro da saúde do período consistiu em um gestor circunscrito por silenciamento, apatia e submissão, em um contexto predominantemente marcado por negacionismo, omissão e passividade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rony Vale, Universidade Federal de Viçosa

Doutor em Linguística pela UFMG (2009-2013). Possui Graduação em Letras (Licenciatura em Português/Literatura) pela UFV (2008), Mestrado em Linguística pela UFMG (2009) e pós-doutorado pela UFMG (2017). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Linguística do Texto e do Discurso, atuando principalmente nas seguintes subáreas: Análise do Discurso, Gêneros do Discurso/Textual, Leitura e Produção Textual, Argumentação e Retórica. Desenvolve trabalhos de pesquisa observando a interface entre o riso, o risível (teorias e práticas) e o Discurso, a partir dos postulados da Análise do Discurso em diálogo com outras áreas do conhecimento como a Filosofia, a Retórica, a História, a Literatura, a Comunicação Social etc.

Referências

BARONAS, L. R.; AGUIAR, F. G. Do acontecimento histórico ao acontecimento discursivo: o político na charge. Bakhtiniana, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 165-182, 2009. Disponível em: <https://revistas.pucsp.br/index.php/bakhtiniana/article/view/3017/1948> Acesso em: 15 jun. 2022.

BARROS, Camila Cardoso. Ministério da Polêmica: humor, representações sociais e a gestão da Saúde durante a pandemia. 2023. 104f. Dissertação (Mestrado em Letras). Universidade Federal de Viçosa, Viçosa.

BRANDÃO, C. C.; MENDONÇA, A. V. M.; SOUSA, M. F. de. O Ministério da Saúde e a gestão do enfrentamento à pandemia de Covid-19 no Brasil. Saúde em Debate, v. 47, n. 137 p. 58–75, 2023. Disponível em: https://www.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/7096. Acesso em: 26 out. 2023.

CHARAUDEAU, P. Discurso das Mídias. São Paulo: Contexto, 2006.

CHARAUDEAU, P. Discurso Político. São Paulo: Contexto, 2005.

CHARAUDEAU, P. Linguagem e discurso: os modos de organização do discurso. São Paulo: Contexto, 2008.

JUNIOR, P. G; GOULART, M.; FRIAS, P. “Os humilhados serão exaltados”: ressentimento e adesão evangélica ao bolsonarismo. Cadernos Metrópole, v. 23, n. 51, p. 547–580, 2021.

MAINGUENEAU, D. A cena da enunciação. In: Discurso literário. Trad. Adail Sobral. São Paulo: Contexto, 2006, p. 249-265.

MEDINA, P, J.; MENDONÇA, F. P. A. O gênero charge como instrumento para despertar o gosto pela leitura. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE, Paraná, v. 1, p. 1-5, 2016. Disponível em: <http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospde/pdebusca/producoes_pde/2016/2016_artigo_port_unespar-apucarana_joelmaparramedina.pdf> Acesso em: 20 jun. 2022.

MELLO, R. Teatro, gênero e análise do discurso. In: MACHADO, I. L.; MELLO, R. (orgs) Gêneros: reflexões em análise do discurso. Belo Horizonte: NAD/FALE/UFMG, 2004.

PILLA, A; QUADROS, B. C. Charges: uma leitura orientada pela Análise do Discurso de linha francesa. Linguagens-Revista de Letras, Artes e Comunicação, Blumenau, v. 3, p. 226-239, 2009. Disponível em: <http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2009/resumos/r4-2082-1.pdf> Acesso em: 20 mai. 2022.

VALE, R. P. G. A mulher nas piadas de almanaques: estratégias discursivas e representações sociais. 2009. 135f. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte. Disponível em: <https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/LETR-8T2NVY> Acesso em: 15 jul. 2021.

Downloads

Publicado

2024-06-04

Como Citar

BARROS, C.; PETTERSON GOMES DO VALE, R. . A PROBLEMÁTICA ENUNCIATIVA EM CHARGES DURANTE A PANDEMIA: : UMA ANÁLISE SOCIODISCURSIVA DAS REPRESENTAÇÕES DOS MINISTROS DA SAÚDE . Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 77, p. 28–46, 2024. DOI: 10.9771/ell.v0i77.55132. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/55132. Acesso em: 20 jul. 2024.