POLÍTICAS DE MEMÓRIA E LITERATURA NEGRA NA BAHIA

UMA PROPOSTA DE CONSTITUIÇÃO DE UM ACERVO DIGITAL

Autores

  • Rosinês de Jesus Duarte Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.v0i76.54113

Palavras-chave:

Constituição de acervos literários; Literatura negro-feminina; Filologia.

Resumo

Um estudo dos processos de produção, transmissão e circulação de textos de mulheres negras evidenciou uma produção potente e diversa entre as décadas de 1970 e 1990, na Bahia. A partir de um mapeamento inicial desses escritos, foi possível inventariar a produção de treze escritoras negras. No entanto, percebemos uma dispersão desses escritos e uma falta de política de arquivamento que contribuíram para o apagamento dessas obras no cenário da história da literatura na Bahia. Nesse contexto, o objetivo do artigo é refletir sobre a necessidade de estabelecer políticas de memória para escritoras negras, provocando, assim, uma reversão da política de esquecimento que insiste em rodear produções de sujeitos negros. Desse modo, esperamos revisar a historiografia literária, introduzindo atores sociais que foram sonegados dos espaços de memória escrita em nosso país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRITTO, Clovis Carvalho. A economia simbólica dos acervos literários: itinerários de produção da crença em Cora Coralina. Disponível em: https://journals.openedition.org/horizontes/1237 Acesso em: 15/05/2021

CÁMARA, Mário; KLINGER, Diana; PEDROSA, Celia; WOLFF, Jorge (org.). Indicionário do contemporâneo Belo Horizonte: Editora UFMG, 2018.

CORREA, Elane da Paixão; DUARTE, Rosinês de Jesus. As editoras da cidade de Salvador em 1980: um olhar filológico para a obra de Aline França. In: GOMES, Carlos Magno; RAMALHO, Cristina Bielinski; CARDOSO, Ana Maria Leal (orgs.). ANAIS do XVII Seminário Internacional Mulher e Literatura. Aracaju, SE: Criação Editora, 2019, p. 181-186.

DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo. Uma impressão freudiana. Trad. Cláudia de Moraes Rego. Rio de janeiro: Relume Dumará, 2001.

DUARTE, Constancia. Arquivos de mulheres e mulheres anarquivadas: histórias de uma história mal contada. Estudos De Literatura Brasileira Contemporânea, n. 30, 63–70, 2018.

DUARTE, Eduardo de Assis. Literatura afro-brasileira: 100 autores do século XVIII ao XX. Rio de Janeiro: Pallas, 2014, p. 9-47.

DUARTE, Rosinês de Jesus. Quem abre caminho na Salvador dos 80: processo de produção e circulação da produção literária de autoria negra feminina. In: GOMES, Carlos Magno; RAMALHO, Christina Bielinski; CARDOSO, Ana Maria Leal (Orgs.). Escritas da resistência: intersecções feministas da literatura. Aracaju, SE: Criação Editora, 2019, v. 1, p. 198-211.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Os poderes da filologia: dinâmica do conhecimento textual. Trad. Greicy Pinto Bellin e Claudia Regina Camargo. Rio de Janeiro: Contraponto, 2021.

GUMBRECHT, Hans Ulrich. Produção de Presença. O que o sentido não consegue transmitir. Trad. Ana Isabel Soares. Rio de Janeiro: Contraponto; Ed. PUC-Rio, 2010.

MARQUES, Reinaldo. Arquivos Literários: teorias, histórias, desafios. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2015.

NASCIMENTO, Beatriz. O conceito de quilombo e a resistência cultural negra. In: RATTS, Alex. Eu sou atlântica: sobre a trajetória de vida de Beatriz Nascimento. São Paulo: Instituto Kuanza, 2006, p. 117-125.

NORA, Pierre. Entre memória e história. A problemática dos lugares. Trad. Yara Aun Khoury. Proj. História, São Paulo, 1993. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/view/12101/8763.

OLIVEIRA, Beatriz. Grave: filha de Carolina Maria de Jesus denuncia o estado de abandono de acervo da escritora. Publicação abr/2023. Disponível em: https://www.instagram.com/nosmulheresdaperiferia/ Acesso em 17/04/2023.

PETROVICH, Carlos; MACHADO, Wanda. Prefácio. In: AZEVEDO; Stella; MARTINS, Cléo (orgs.). E daí aconteceu o encanto... Salvador: Axé Opô Afonjá, 1988.

ROLNIK, Suely. Cartografia sentimental: transformações contemporâneas do desejo. Porto Alegre: Sulina; Editora da UFRGS, 2011.

SANTOS-FEBRES, Mayra. Fe en disfraz. Guaynabo: Alfaguara, 2009.

SILVA, Ailla de Aquino; DUARTE, Rosinês de Jesus. Seguindo os rastros das escritoras negras baianas da década de 80. In: GOMES, Carlos Magno; RAMALHO, Christina Bielinski; CARDOSO, Ana Maria Leal (Orgs.). Escritas da resistência: intersecções feministas da literatura. Aracaju, SE: Criação Editora, 2019, p. 3 -13. Disponível em: https://editoracriacao.com.br/anais-do-xviii-seminario-internacional-mulher-literatura/ Acesso em: 24/09/23.

VASSALLO, Jaqueline. Mujeres e património cultural: lo desafio de preservar lo que se invisibiliza. Revista doInstituto de Estudos Brasileiros, n. 71, p. 80-94, 2018.

VINHAS, Wagner. Colonialidade e política de esquecimento. Revista de Teoria da História, v. 22, n. 02, 2019.

Downloads

Publicado

2024-06-04

Como Citar

DUARTE, R. de J. POLÍTICAS DE MEMÓRIA E LITERATURA NEGRA NA BAHIA: UMA PROPOSTA DE CONSTITUIÇÃO DE UM ACERVO DIGITAL. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 76, p. 1–16, 2024. DOI: 10.9771/ell.v0i76.54113. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/54113. Acesso em: 23 jul. 2024.