A PRESENÇA (AUSÊNCIA) DO PORTUGUÊS PLURICÊNTRICO EM APLICATIVOS DIGITAIS: O CASO DO MEMRISE E DO DUOLINGO

Autores

  • José Johnatta Feitosa Teixeira Universidade Federal de Sergipe
  • Rayane Araújo Gonçalves Universidade Federal de Sergipe
  • Isabel Cristina Michelan de Azevedo Universidade Federal de Sergipe https://orcid.org/0000-0002-5293-0168

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.i73.48981

Palavras-chave:

Memrise, Duolingo, Português pluricêntrico, Ensino, PLE

Resumo

Este trabalho observa o ensino de português como língua estrangeira em aplicativos digitais. Para isso, a partir de um viés pluricêntrico, descreve dois aplicativos digitais voltados ao ensino de línguas e analisa se há o predomínio de uma norma de língua portuguesa em relação à(s) outra(s). A metodologia aplicada utilizou o procedimento técnico de análise documental, de abordagem qualitativa, com restrição do corpus para atividades dos níveis iniciais e informações contidas nos sites do Duolingo e Memrise. O trabalho tem respaldo nas ideias de Côrrea (2019), Kapp (2012) e Vincent-Layton (2019) em relação ao ensino de PLE em aplicativos, e em autores como Hall (1996) e Batoréo (2014) para questões de língua e aspectos culturais. Os resultados apontam a necessidade de os aplicativos demarcarem o caráter pluricêntrico do português e exporem normas além do português brasileiro e do europeu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isabel Cristina Michelan de Azevedo, Universidade Federal de Sergipe

Doutora em Letras pela Universidade de São Paulo (USP) e docente do Programa de Pós-Graduação em Letras (PPGL) da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

Referências

BATORÉO, Hanna J. Que gramática(s) temos para estudar o Português língua pluricêntrica? Revista Diadorim. Universidade Federal do Rio de Janeiro, v.16, p. 1-15, dez. 2014. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/diadorim/article/view/4023. Acesso em: 03 mar. 2022.

BURKE, Peter. O que é História Cultural? Trad. Sérgio Góes de Paula. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

CLYNE, Michael. Pluricentriclanguages – Introduction. In: CLYNE, Michael (ed.). PluricentricLanguages: differingnorms in differentnations. Berlin: Mountoun de Gruyter, 1992, p. 1-10.

CORRÊA, Claudio. A gamificação e o ensino/aprendizagem de segunda língua: um olhar investigativo sobre o Duolingo. Linguagem & Ensino, Pelotas, v. 22, n. 4, p. 1020-1039, out-dez. 2019.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução: Tomaz Tadeu da Silva, Guaracira Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

KAPP, Karl M. The gamification of learning and instruction: game-based methods and strategies for training and education. EUA: Pfeiffer, 2012.

LARAIA, Roque de Barros. Cultura: um conceito antropológico. 14. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

MUHR, Rudolf. Non-Dominant Varieties of Pluricentric Languages. Getting the Picture. Frankfurt & Wien: Peter Lang. 2012.

NIETO, Sonia. Language, culture and teaching: critical perspectives. New York: Routledge, 2010.

O’DEA, Simon. Number of smartphone subscriptions worldwide from 2016 to 2026 (in millions). Statista, 2021. Disponível em: https://www.statista.com/statistics/330695/number-of-smartphone-usersworldwide/. Acesso em 29 de mar. 2022

ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. 5. ed. São Paulo: Brasiliense, 2006.

PETIT, Thomas; SANTOS, Gilberto Lacerda. A aprendizagem não formal da língua estrangeira usando o smartphone: por quê voltamos a metodologias do século XIX? Anais eletrônicos do 5º Simpósio Hipertexto e Tecnologias da Informação – Aprendizagem móvel dentro e fora da escola. UFPE, 2013. p. 1-21.

SILVA Augusto Soares da. O português no mundo e a sua estandardização: entre a realidade de uma língua pluricêntrica e o desejo de uma língua internacional. In: SILVA Augusto Soares da. O português na casa do mundo hoje. Braga: Universidade Católica Portuguesa de Braga, 2018, p. 111-132. Disponível em: http://hdl.handle.net/10400.14/33126. Acesso em: 03 mar. 2022.

SPAVEN, Emily. Q & A: Memrise co-founder talks diversity, mentorship and longterm plans. UKNT, 2016. Disponível em: https://www.uktech.news/news/qamemrise-co-founder-talks-diversity-mentorship-and-long-term-plans-20160926. Acesso em: 10 dez. 2022.

Downloads

Publicado

2022-09-27

Como Citar

TEIXEIRA, J. J. F.; GONÇALVES, R. A.; AZEVEDO, I. C. M. de. A PRESENÇA (AUSÊNCIA) DO PORTUGUÊS PLURICÊNTRICO EM APLICATIVOS DIGITAIS: O CASO DO MEMRISE E DO DUOLINGO. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 73, p. 459–475, 2022. DOI: 10.9771/ell.i73.48981. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/48981. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

DOSSIÊ PLURICENTRISMO LINGUÍSTICO DO PORTUGUÊS