O DISCURSO DA CRÍTICA: GENETTE, LEITOR DE PROUST

Autores

  • Thiago Andrade de Paula Universidade Federal de Ouro Preto

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.i70.44125

Palavras-chave:

Realismo francês, Modernismo literário, Metáfora, Polimodalidade

Resumo

Este trabalho tem por objetivo realizar a leitura comparativa de dois textos decisivos de Genette sobre a obra maior de Marcel Proust, que será muito útil para entender a tensa relação que o romancista estabelece com o Realismo literário. Desse modo, será necessário demonstrar o ângulo do foco que é modificado entre o primeiro texto Proust Palimpsesto, em Figuras I (1972), no qual há uma tentativa de explicação da obra proustiana por meio de uma teoria da metáfora, e o segundo texto, O Discurso da Narrativa (1995), no qual há um tom bem mais sistemático fortemente influenciado pelo Estruturalismo, área do conhecimento muito familiar ao crítico francês. Ao se analisar e expor essa mudança fundamental dos frames em que são entendidos La Recherche, será possível perceber uma dificuldade para o Genette de palimpsesto de fazer jus à modernidade do texto em questão, enquanto que, para o Genette de O Discurso da Narrativa, a obra literária maior do escritor francês está intimamente ligada à arte moderna.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ADORNO, T. W. As estrelas descem à terra: a coluna de astrologia do Los Angeles Times: um estudo sobre superstição secundária. São Paulo: Ed. Unesp, 2008.

ADORNO, T. W. Filosofia da nova música. Traduzido por Madga França. São Paulo: Perspectiva, 1989.

ADORNO, T. W. Notas de literatura I. Traduzido por Jorge M. B. de Almeida. São Paulo: Editora 34, 2003.

ALPERS, S. A arte de descrever: A arte holandesa do século XVII. Traduzido por Antônio de Pádua Danesi. São Paulo: Ed. Unesp, 1999.

ALPERS, S. O projeto de Rembrandt: O ateliê e o mercado. Traduzido por Vera Pereira. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

ARISTÓTELES. Poética. Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2003.

BALZAC, H. As ilusões perdidas. Traduzido por Silvana Salerno. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

BALZAC, H. O pai Goriot. Traduzido por Marina Appenzeller. São Paulo: Estação Liberdade, 2002.

CONRAD, J. No coração das trevas. São Paulo: Hedra, 2008.

FREUD, S. Além do princípio de prazer. Traduzido por Renato Zwick. São Paulo: L&PM, 2016.

GENETTE, G. Proust Palimpsesto. In: GENETTE, G. Figuras I. Traduzido por Ivone Floripes Mantoanelli. São Paulo: Perspectiva, 1972.

GENETTE, G. O Discurso da Narrativa. Lisboa: Vega, 1995.

GOMBRICH, E. H. A história da arte. Traduzido por Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

GOMBRICH, E. H. Arte e ilusão: um estudo da psicologia da representação pictórica. 4ª Ed. Traduzido por Raul de Sá Barbosa. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2007.

JOYCE, J. Ulisses. Traduzido por Bernadina da Silveira Pinheiro. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007.

PROUST, M. Contre Sainte-Beuve: notas sobre crítica e literatura. São Paulo: Iluminuras, 1998.

PROUST, M. Em busca do tempo perdido. Volume 1, No caminho de Swann. À sombra das moças em flor. Traduzido por Fernando Py. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.

PROUST, M. Em busca do tempo perdido. Volume 2, No caminho de Guermantes. Sodoma e Gomorra. Traduzido por Fernando Py. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.

PROUST, M. Em busca do tempo perdido. Volume 3, A prisioneira. A fugitiva. O tempo recuperado. Traduzido por Fernando Py. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.

SÓFOCLES. Édipo Rei. São Paulo: Abril Cultural, 1976.

STENDHAL. A cartuxa de Parma. Traduzido por Vidal de Oliveira. São Paulo: Globo, 2004.

Downloads

Publicado

2021-12-11

Como Citar

DE PAULA, T. A. O DISCURSO DA CRÍTICA: GENETTE, LEITOR DE PROUST. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 70, p. 36–61, 2021. DOI: 10.9771/ell.i70.44125. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/44125. Acesso em: 25 maio. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES