“Eu tenho uma responsabilidade”

a representação de mulheres japonesas em Nossa Irmã Mais Nova (2015), de Koreeda Hirokazu

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i65.45399

Palavras-chave:

Koreeda Hirokazu, Mulheres, Representação

Resumo

Este artigo propõe-se a analisar as representações de mulheres na obra Nossa Irmã Mais Nova (2015), do cineasta Koreeda Hirokazu. Através da análise fílmica e da revisão bibliográfica, objetiva-se caracterizar o cinema de Koreeda, além de investigar e comparar as diferentes personagens do filme escolhido, buscando identificar de que modo a mudança na organização familiar e a diferença geracional impactam a posição de cada uma. Entendendo tais representações enquanto elementos simbólicos, historicamente situados, busca-se contextualizar o filme e o diretor, explorando os aspectos culturais da sociedade japonesa. Para tanto, o trabalho apresenta quatro momentos: primeiro, uma discussão sobre cinema e representação; segundo, uma exposição acerca da questão da mulher no Japão moderno; a seguir, um informe biográfico sobre o diretor; e, finalmente, a análise da obra por meio da decupagem e da revisão bibliográfica.

Palavras-chave: Koreeda Hirokazu; mulheres; representação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Elisa M. Sasaki, “Valores culturais e sociais nipônicos” (apresentação em IV Encontro sobre língua, literatura e cultura japonesa, Rio de Janeiro, 2011).

Joy Hendry, Understanding Japanese Society, Londres: RoutledgeCurzon, 2003.

Sharon H. Nolte e Sally Ann Hastings “The Meiji State’s Policy Toward Women, 1890-1910” in Gail Lee Bernstein (ed.), Recreating Japanese women, 1600-1945 (Califórnia: University of California Press, 1991).

Linda C. Ehrlich, The Films of Kore-eda Hirokazu: An Elemental Cinema, Suíça: Palgrave Macmillan, 2019.

Walter Benjamin, “Pequena história da fotografia” in Walter Benjamin (ed.), Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre a literatura e a história da cultura (São Paulo: Editora Brasiliense, 1985).

Andrew Dorman, Paradoxical Japaneseness: Cultural Representation in 21st Century Japanese Cinema, Reino Unido: Palgrave Macmillan, 2016.

Jean-Claude Bernardet, O que é cinema, São Paulo: Editora Brasiliense, 1980.

Ismail Xavier, O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência, São Paulo: Paz e Terra, 2008.

Cecília Maki Tomimatsu, “O Cinema que Convoca os Sentidos da Vida: uma análise do conceito de Ikigai (razão de viver) na filmografia de Hirokazu Koreeda”, Tese (Doutorado em Comunicação e Semiótica), PUC, São Paulo, 2017.

Hirokazu Koreeda, Nossa Irmã Mais Nova, Japão: Toho; Gaga, 2015.

Laurent Jullier e Michel Marie, Lendo as imagens do cinema, São Paulo: Editora Senac, 2009.

Ayako Kano, Japanese Feminist Debates: A Century of Contention on Sex, Love, and Labor, Honolulu: University of Hawaii Press, 2016.

Georg Lukács, Introdução a uma estética marxista: sobre a particularidade como categoria da estética, Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1970.

Joan Scott, “Gênero: uma categoria útil de análise histórica”, Educação & Realidade, v. 20, n. 2 (1995), https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/issue/view/3038/showToc.

Antônio Câmara, Bruno Neto e Rodrigo Lessa, “Da estética à sociologia da arte” in Antônio Câmara e Rodrigo Lessa (eds.), Documentário brasileiro em perspectiva (Salvador: EDUFBA, 2013).

Cursos de estética, São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2002.

Roger Bastide, Arte e Sociedade, São Paulo: Ed. Nacional, 1979.

Rodrigo Lessa, Humberto Júnior e Pérola Mathias, “Aportes do materialismo histórico para a sociologia da arte” in Antônio Câmara, Bruno Silva e Rodrigo Lessa (eds.), Ensaios da Sociologia da Arte (Salvador: EDUFBA, 2018).

Yoshio Sugimoto, An Introduction to Japanese Society, Nova Iorque: Cambridge University Press, 2010.

Walter Benjamin, “A obra de arte na era da sua reprodutibilidade técnica” in José L. Grunnewald (org.), A ideia do cinema (Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1969).

Marcel Martin, A linguagem cinematográfica, Lisboa: Dinalivro, 2005.

Jacques Aumont e Michel Marie, A análise do filme, Lisboa: Texto & Grafia, 2013.

Downloads

Publicado

2022-06-19

Como Citar

SÁ SCHAT, A. L.; CÂMARA, A. da S. “Eu tenho uma responsabilidade”: a representação de mulheres japonesas em Nossa Irmã Mais Nova (2015), de Koreeda Hirokazu. Afro-Ásia, Salvador, n. 65, p. 554–606, 2022. DOI: 10.9771/aa.v0i65.45399. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/45399. Acesso em: 29 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos