Epistemologias para convivialidade ou Zumbificação

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i63.37490

Palavras-chave:

Capoeira | Convivialidade | Epistemologia | Teoria pós-colonial | Zumbi

Resumo

Inspirado no pensamento de Frantz Fanon, este texto é um diagnóstico do tempo presente encenado como uma “reação psicótica”, cujo esperado efeito colateral é fazer avançar a noção de convivialidade como um espaço de experimentação analítica, onde desigualdade e diferença compartilham a condição de isonomia conceitual. O experimento específico aqui realizado tenta atingir esse objetivo fundindo diferentes registros escriturais e explorando o repertório vernacular da junção brasileira de um Atlântico afro-indígena. Sua aposta analítica, a ideia de zumbificação, é o esboço de uma posição epistemológica cujo trabalho consiste em uma cinética de (pelo menos) três movimentos: 1) a posicionalidade necessária para fazer exigências políticas; 2) o decentramento necessário para atenuar os efeitos prejudiciais tanto do essencialismo (mesmo estratégico) como da inevitável reprodução de padrões hegemônicos excludentes; 3) o voluntarismo necessário para amplificar abordagens epistemológicas subalternizadas de modo que elas possam se tornar mais pervasivas.

 

Epistemologies for Conviviality or “Zumbification”

Inspired by Frantz Fanon’s thought, this paper is a diagnostic of the present time, enacted as a “psychotic reaction” that melts together different scriptural registers to advance the notion of conviviality as a space of analytical experimentation, where inequality and difference share the condition of conceptual isonomy. The experiment performed in this article tries to accomplish this goal by exploring the vernacular repertoire of the Brazilian junction of an afro-indigenous Atlantic. Its analytical idea, zumbification, is the sketch of an epistemological subject-position, whose labor consists in a kinesics of (at least) three movements: 1) the situatedness needed for making political demands; 2) the decenteredness necessary for attenuating the harmful effects of (even strategic) essentialism and the unavoidable reproduction of hegemonic exclusionary patterns; 3) the willfulness required for amplifying subalternized epistemological approaches, so that they may become more pervasive.

Capoeira | Conviviality | Epistemology | Post-colonial theory | Zumbi

Biografia do Autor

Fernando Baldraia, Universidade Livre de Berlim

Fernando Baldraia é doutor em História pela Universidade Livre de Berlim. Pela mesma universidade, fez pós-doutorado no Mecila/Cebrap (2017-2019).

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

BALDRAIA, F. Epistemologias para convivialidade ou Zumbificação. Afro-Ásia, [S. l.], n. 63, 2021. DOI: 10.9771/aa.v0i63.37490. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/37490. Acesso em: 23 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)