Pauperização e alienação do trabalho docente: Contradições e perspectivas para o movimento dos trabalhadores de educação

Autores

  • Carlos Serrano Ferreira SEPE-RJ

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v3i1.9493

Palavras-chave:

Proletarização docente. Alienação. Movimento sindical. SEPE.

Resumo

Este artigo debate e rejeita as concepções que tratam de uma possível “proletarização” dos professores, propondo a caracterização distinta de pauperização e alienação. Abordando esse processo propõe duas possibilidades, ao mesmo tempo necessidades, para o trabalho docente e seu movimento: a superação da autoridade arbitrária e a unificação de todos os trabalhadores de educação.

Biografia do Autor

Carlos Serrano Ferreira, SEPE-RJ

Coordenador-Geral da Regional I do SEPE-RJ. Mestrando em Ciência Política pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (Lisboa), cientista social formado pela UFF e especialista em Relações Internacionais pela UCAM. Pesquisador da cátedra REGGEN (Rede de Economia Global e Desenvolvimento Sustentável) da UNESCO e UNU.

Downloads

Publicado

2010-11-30

Como Citar

Ferreira, C. S. (2010). Pauperização e alienação do trabalho docente: Contradições e perspectivas para o movimento dos trabalhadores de educação. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 3(1), 62–71. https://doi.org/10.9771/gmed.v3i1.9493