Marx e a questão ambiental: caminhos e fronteiras

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v13i2.45034

Palavras-chave:

capital, homem, natureza, ecossocialismo, educação ambiental

Resumo

Resumo: Este artigo busca investigar as contribuições e as implicações metodológicas de Marx e da tradição marxista para pensar a questão ambiental. Tratamos de indicar as aproximações entre a problemática ambiental e os textos de Marx. A partir desse apanhado, tentamos contestar as posições que identificamos como equivocadas. Por meio desse exercício, o artigo: i) identifica que as raízes da problemática de dominação da natureza não se resolvem apenas com uma preocupação epistemológica; ii) problematiza a noção de que para Marx haveria uma relação automática entre progresso econômico e social; iii) propõem uma reflexão que pretende equacionar: questão camponesa, tradição marxista e estudos socioambientais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Yan Victor Leal Silva, Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social/ PPGDS - Unimontes

Mestre em Extensão rural (UFV). Biólogo, Licenciado em Ciências Biológicas – UEMG – Unidade Ibirité. Pesquisador, bolsista FAPEMIG de doutorado pelo PPGDS/ Unimontes (Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social). Membro do Laboratório de Educação Ambiental e Ecologia Humana. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8045681148295030. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-5768-1287. E-mail: yanvicctor@gmail.com

Warlen Nunes dos Santos, Programa de Pós-Graduação em Filosofia Fafich-UFMG

Graduado em Filosofia pela PUC-Minas. Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Filosofia Fafich-UFMG, na linha de pesquisa: Ética e Filosofia Política. É educador popular do NEP 13 de maio. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5826331227943234. Orcid: https://orcid.org/0000-0001-9995-5525. E-mail: nunes.warley@gmail.com

Ana Paula Glinfskoi Thé, Universidade Estadual de Montes Claros - UNIMONTES

Doutora em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Professora Adjunta da Universidade Estadual de Montes Claros no Departamento de Biologia Geral. Professora Permanente do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Social da (PPGDS – UNIMONTES). Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/1387741113850351. Orcid: https://orcid.org/0000-0003-0020-5930. E-mail: anapgthe@gmail.com

Referências

Referências:

ANTUNES, Jadir. Marx e o Fetiche da Mercadoria: Contribuição a crítica da Metafisica. Jundiaí - SP: Paco, 2018.

ARTHUR, Christopher, J. A nova dialética e o capital de Marx. São Paulo: Edipro, 2016.

BARTRA, Armando. Os camponeses em questão. In: _______. Os camponeses: leituras a partir de um México profundo. São Paulo: Cultura Acadêmica; Cátedra Unesco de Educação do Campo e Desenvolvimento Rural, p. 65-114, 2011.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A mata e a roça: a ideologia nas relações entre o produtor de alimentos e as condições naturais da produção. In: _______. Plantar, colher, comer: um estudo sobre o campesinato goiano. Rio de Janeiro: Graal. p. 45-65, 1981.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Viver um tempo, habitar um espaço: a visita de um antropólogo à geografia. In: _______. “No rancho fundo”. Espaços e tempos no mundo rural. Uberlândia/MG: EDUFU, 2009. p. 2-19. Disponível em: https://apartilhadavida.com.br/outros-escritos/?d=L0FOVFJPUE9MT0dJQS9NVU5ETyBDQU1QT07DilM%3D&m1dll_index_get=0. Acesso em: 13 jun. 2021.

CANDIDO, Antonio. Os parceiros do Rio Bonito: estudo sobre o caipira paulista e a transformação de seus meios de vida. 8ª.ed. São Paulo: Ed.34, 1997.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. A invenção do sujeito ecológico: sentidos e trajetórias e educação ambiental. 2001. 349 f. Orientador: Nadja Hermann. Tese (Doutorado em educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2001. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/3336/000291796.pdf?sequence=1&locale=en. Acesso em: 13jun. 2021.

CHAYANOV, Aleksandr. Sobre a Teoria dos Sistemas Econômicos Não Capitalistas. In: SILVA, José Graziano da; STOLCKE, Verena (Org.). A Questão Agrária: Weber, Engels, Lenin, Kautsky, Chayanoy e Stalin. São Paulo: Ed. Brasiliense. p. 133-63, 1981.

ENGELS, Friedrich. O Problema Camponês na França e na Alemanha. In: SILVA, José Graziano da; STOLCKE, Verena (Org.). A Questão Agrária: Weber, Engels, Lenin, Kautsky, Chayanoy e Stalin. São Paulo: Ed. Brasiliense p. 59-80, 1981.

FERNANDES, Bernardo Mançano. Questão agrária: conflitualidade e desenvolvimento territorial. In: STEDILE, João Pedro (Org.). A questão agrária no Brasil 7. 7ed. São Paulo: v. 7, p. 173-238, 2013.

FOSTER, John Bellamy. La ecología de Marx: materialismo y naturaleza. Mataró (Catalunha): El Viejo Topo, 2000.

GARCIA Jr, Afrânio. Introdução: mercado de trabalho e campesinato. In: _______. O sul: caminho do roçado. Estratégias de reprodução camponesa e transformação social. São Paulo: Marco Zero; Brasília: Editora da UnB, p. 11-58, 1989.

KAUTSKY, Karl. O camponês e a indústria; A proletarização do campesinato. In: _______. A Questão Agrária. Rio de Janeiro: Laemmert, p. 182-211, 1968.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Pensamento crítico, tradição marxista e a questão ambiental: ampliando os debates. In: _______. A questão ambiental no pensamento crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro: Quartet, p. 13-68, 2007.

LÖWY, Michael. Marx, Engels e a ecologia. In: revista Margem Esquerda – Dossiê: 40 anos do golpe de 64. São Paulo: Boitempo, n.3, p. 90-103. 2004.

LÖWY, Michael. Ecologia e socialismo. São Paulo: Cortez, Coleção questões de nossa época; v. 125. 2005.

MARTINS, José de Souza. Capítulo I: Os camponeses e a política no Brasil. In: _______. Os camponeses e a política no Brasil: as lutas sociais no campo e seu lugar no processo político. Petrópolis: Vozes, p. 21-102, 1981.

MARTINS-FONTES, Yuri. Relatório Final de Pesquisa de Pós-Doutorado/ 2015-2017 [produção textual e demais atividades: publicação, extensão e eventos]. Marxismo e Saberes Originários: das afinidades entre os outros saberes e a concepção dialética da história. São Paulo: Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, 2017. 141p. Relatório.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. As condições das transformações históricas. In: Octavio Ianni (Org.). Teorias de Estratificação Social: leituras de sociologia. São Paulo: Editora Nacional, Série 2, v.42, p. 67-83. 1972.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Karl Marx Friedrich Engels – Feuerbach e História: Rascunhos e Anotações. In: _______. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas. São Paulo: Boitempo editorial, p. 29-78. 2007.

MARX, Karl. Manuscritos econômicos- filosóficos e outros textos escolhidos. Vol. I. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

MARX, Karl. Capítulo VII. In: _______. O 18 Brumário de Luís Bonaparte. São Paulo: Boitempo, p. 137-154, 2011.

MARX, Karl. O processo de trabalho e o processo de valorização. In: _______. O capital: contribuição à crítica da economia política – Livro 1: O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, p. 326-352. 2013.

MARX, Karl. Maquinaria e Grande Industria – Grande Industria e Agricultura. In: _______. O capital: contribuição à crítica da economia política – Livro 1: O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, p. 548-703. 2013.

MARX, Karl. A assim chamada acumulação primitiva. In: _______. O capital: contribuição à crítica da economia política – Livro 1: O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, p. 959-1014. 2013.

MARX, Karl. El porvenir de la comuna rural rusa. In: _______. Escritos sobre la comunidad ancestral. La Paz: Fondo Editorial Asamblea Legislativa Plurinacional, p. 167-228, 2015.

MARX, Karl. Capítulo 47 - Gênese da renda fundiária capitalista. In: O capital: contribuição à crítica da economia política – Livro 3: O processo global da produção capitalista. São Paulo: Boitempo, p. 843-873. 2017.

MENDRAS, Henri. Capítulo 1: Ecologia. In: _______. Sociedades camponesas. Rio de Janeiro: Zahar Editores. p. 19-42, 1978.

MÉSZÁROS, István. Capitalismo y destrucción ecológica. In: _______. La crisis estructural del capital. Caracas: Ministerio del Poder Popular para La Comunicación, p. 79-83, 2009.

MOVIMENTO DOS TRABALHADORES RURAIS SEM TERRA. Caderno de Formação nº 11. Elementos sobre a teoria da Organização no Campo. Clodomir Santos de Morais. 1986. Disponível em: http://docvirt.com/docreader.net/DocReader.aspx?bib=bibliotlt&pagfis=3330. Acesso em: 13 jun. 2021.

MÜLLER, Marcos Lutz. Exposição e método dialético em “O Capital”. Boletim Seaf, Belo Horizonte, v. 2, p. 17-41, 1982. Disponível em: https://eleuterioprado.files.wordpress.com/2015/09/muller-exposic3a7c3a3o-e-mc3a9todo-dialc3a9tico-em-marx.pdf. Acesso em: 13 jun. 2021.

NETTO, José Paulo. De como não ler Marx ou o Marx de Sousa Santos. In: _______. Marxismo impenitente – contribuição à história das ideias marxistas. São Paulo: Cortez Editora, p. 223-241, 2004.

O'CONNOR, James. Las condiciones de produccíon: Por um marxismo ecológico, uma introdução teórica. In: ALIER, Juan Martínez; O'CONNOR, James (Org.). Ecología Política. Barcelona: Fuhem, Icaria, p. 113-130, 1990.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Subjetividade, Cidadania e Emancipação. Revista Crítica de Ciências Sociais, v. 32, p. 135-191, 1991. Disponível em: https://www.ces.uc.pt/publicacoes/rccs/artigos/32/Boaventura%20de%20Sousa%20Santos%20-%20Subjectividade,%20Cidadania%20e%20Emancipacao.pdf. Acesso em: 13 jun. 2021.

SEVILLA GUZMÁN, Eduardo. Sobre los orígenes de la agroecología en el pensamiento marxista y libertario. La Paz - Bolivia: Plural editores, 2011.

SHANIN, Teodor. A definição de camponês: conceituações e desconceituações. Estudos CEBRAP, Rio de Janeiro: Vozes, n. 26, p. 41-80, 1980. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/nera/article/view/1456. Acesso em: 13 jun. 2021.

SHANIN, Teodor. O último Marx: Deuses e Artesãos. In: _______. Marx tardio e a via Russa: Marx e as periferias do capitalismo. São Paulo: Expressão Popular, p. 23-73, 2017.

SVAMPA, Maristella. Consesno de los commodities, giro ecoterritorial y pensamiento crítico en La América Latina. In: Movimentos Socioambientales en América Latina. Buenos Aires: OSAL – Observatorio Social de América Latina. Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales – Clacso, Ano XIII, n° 32. p. 15-38, 2012.

TEIXEIRA, Heitor Mancini; VERMUE, Ardjan J.; CARDOSO, Irene Maria; PEÑA CLAROS, Marielos; BIANCHI, Felix J.J. A. Farmers show complex and contrasting perceptions on ecosystem services and their management. Ecosystem services, v.33, p. 44-58, 2018. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S221204161830175X. Acesso em: 13 jun. 2021.

VELHO, Otávio Guilherme. Sociedade e Agricultura. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

VIEIRA, Zaira Rodrigues. Introdução e Características Gerais do Trabalho. In: _______. Trabalho e Emancipação Humana em Marx - os Grundrisse. 1. ed. Campinas: Papel Social, p. 5-36. 2018.

WOLF, Eric. Sociedades camponesas. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976.

Downloads

Publicado

2021-09-17

Como Citar

Leal Silva, Y. V., dos Santos, W. N., & Thé, A. P. G. (2021). Marx e a questão ambiental: caminhos e fronteiras: . Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 13(2), 420–439. https://doi.org/10.9771/gmed.v13i2.45034