Bioeconomia e financeirização dos riscos ambientais: formas capitalistas de enfrentamento da crise ambiental: a crítica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v13i2.44903

Palavras-chave:

Bioeconomia, mercado de carbono, crise ambiental, crise capitalista, crítica.

Resumo

O artigo objetiva realizar uma análise crítica da forma de enfrentamento capitalista da crise ambiental que se concretiza sob a forma de ecologização do capital. Partindo do referencial bibliográfico marxiano e marxista, analisa duas dessas formas de ecologização do capital: a bioeconomia e a financeirização da crise ambiental. A crítica parte da caracterização da crise ambiental do capital e sua analogia com a crise do capital propriamente dita, chegando à definição de ecologização do capital. Na sequência apresentam-se criticamente as formas específicas de ecologização do capital, a saber: bioeconomia e financeirização da crise ambiental. O artigo encerra-se reforçando a apreensão da ecologização do capital tendo por referência sua potencialidade contratendencial à crise capitalista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Julio Cesar Pereira Monerat, Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais - Campus Muriaé

Doutor em Serviço Social (UERJ). Professor de História no ensino básico técnico e tecnológico (EBTT) do IF Sudeste MG e integrante da coordenação colegiada da Rede Tecnológica de Extensão Popular (RETEP). Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/6799918372453791. Orcid: http://orcid.org/0000-0002-9994-7127. E-mail: julio.monerat@gmail.com.

Referências

ALTVATER, Elmar. O preço da riqueza. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1995 (Biblioteca Básica).

ARTICULAÇÃO dos Povos Indígenas do Brasil. Cumplicidade na destruição: como os consumidores e financiadores do Norte permitem o ataque do governo Bolsonaro à Amazônia Brasileira. Brasília: Articulação dos Povos Indígenas do Brasil, 2019.

CHESNAIS, François. A mundialização do capital. São Paulo: Xamã, 1996.

DUAYER, Mário. Apresentação. In: MARX, Karl. Grundrisse: esboços para a crítica da economia política. São Paulo: Boitempo, 2011.

EXAME. Especial Guia Exame de Sustentabilidade: a economia do futuro. São Paulo: Abril, 13 nov. 2019.

FALCOM, Francisco; MOURA, Gerson. A formação do mundo contemporâneo. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

FINK, Laurence. Uma mudança estrutural nas finanças. [S.l.] BlackRock, 2020. Disponível em: <https://www.blackrock.com/br/larry-fink-ceo-letter>. Acesso em: 03 jun. 2021.

FONTES, Virgínia. Brasil e o capital imperialismo. 2010. Rio de Janeiro: EPSJV / Editora UFRJ, 2010.

GLASS, Verena. O lado B da Economia Verde: roteiro para uma cobertura jornalística crítica da Rio+20. Rio de Janeiro / São Paulo: Fundação Heinrich Böll / Repórter Brasil, 2012.

GÖRGEN, Frei Sérgio. Agrocombustíveis. In: CALDART, Roseli; PEREIRA, Isabel; ALENTEJANO, Paulo; FRIGOTTO, Gaudêncio (Orgs.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro: EPSJV; São Paulo: Expressão Popular, 2012.

GRESPAN, Jorge. O negativo do capital: o conceito de crise na crítica de Marx à economia política. São Paulo: Expressão Popular, 2012.

HOUTART, François. A Agroenergia: solução para o clima ou saída da crise para o capital? Petrópolis: Vozes, 2010.

MAICÁ, Eitel Dias. Sementes. In: CALDART, Roseli; PEREIRA, Isabel; ALENTEJANO, Paulo; FRIGOTTO, Gaudêncio (Orgs.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro: EPSJV; São Paulo: Expressão Popular. 2012.

MARTINS , José Vitor Bomtempo; PEREIRA, Felipe dos Santos; OLIVEIRA E SILVA, Martim Francisco de. A Bioeconomia brasileira em números. In: Bioeconomia: BNDES Setorial 47; mar. 2018. Disponível em: <https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/bitstream/1408/15383/1/BS47__Bioeconomia__FECHADO.pdf>. Acesso em: 20 mai. 2021.

MARX, Karl. O capital: Crítica da economia política, Livro I – O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, Karl. O capital: Crítica da economia política, Livro III – O processo global da produção capitalista. São Paulo: Boitempo, 2017.

MMA – Ministério do Meio Ambiente. Protocolo de Kyoto. Disponível em: <https://www.mma.gov.br/clima/convencao-das-nacoes-unidas/protocolo-de-quioto.html>. Brasília, [200?]. Acesso em: 03 jun. 2021.

NASCIMENTO, Camila. Relatório Global de Riscos 2020, do Fórum Econômico Mundial, faz grave alerta sobre os riscos climáticos e a polarização política. In: Portal EcoDebate, 16 jan. 2020. Disponível em: <https://www.ecodebate.com.br/2020/01/16/relatorio-global-de-riscos-2020-do-forum-economico-mundial-faz-grave-alerta-sobre-os-riscos-climaticos-e-a-polarizacao-politica/>. Acesso em: 03 jun. 2021.

NEXO JORNAL. Crédito de carbono: a aposta de mercado contra o efeito estufa. In: NEXO Jornal, 11 out. 2019. Disponível em: <https://www.nexojornal.com.br/explicado/2019/10/04/Cr%C3%A9dito-de-carbono-a-aposta-de-mercado-contra-o-efeito-estufa#section-226>. Acesso em: 20 mai. 2021.

O'CONNOR, James. ? Es posible el capitalismo sostenible? In: ALIMONDA, Hector. Ecologia Politica: naturaleza, sociedade y utopia. Buenos Aires: CLACSO, 2002.

SÁ BARRETO, Eduardo. O capital na estufa: para a crítica da economia das mudanças climáticas. Rio de Janeiro: Consequência, 2018.

WEID, Jean Marc Von der. Agrocombustíveis: solução ou problema? In: ABRAMOVAY, Ricardo (Org.). Biocombustíveis: a energia da controvérsia. São Paulo: Editora Senac, 2009.

Downloads

Publicado

2021-09-17

Como Citar

Monerat, J. C. P. (2021). Bioeconomia e financeirização dos riscos ambientais: formas capitalistas de enfrentamento da crise ambiental: a crítica. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 13(2), 174–204. https://doi.org/10.9771/gmed.v13i2.44903