O capital de Marx sob a perspectiva do colapso ambiental: do fetichismo da mercadoria à ruptura metabólica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v13i2.44862

Palavras-chave:

Marx, capital, natureza, ecologia, metabolismo

Resumo

Este artigo objetiva uma leitura panorâmica de O capital, de Karl Marx, à luz da catástrofe ambiental contemporânea. Apoiando-se em bibliografia de teóricos ecossocialistas que realizaram uma leitura filológica e sistemática dos aspectos da obra marxiana mais relevantes dentro de uma perspectiva ecológica, percorrem-se alguns dos eixos principais de O capital. De início, são explicitadas as consequências para o metabolismo social com a natureza implicadas na forma-mercadoria e no seu fetichismo. Em seguida, os desenvolvimentos que o modo de produção capitalista efetiva em sua circulação e produção (crises, aumento das forças produtivas, lei da queda tendencial da taxa de lucro, financeirização, intensificação das velocidades) são retomados em sua significância ambiental. Por fim, conclui-se o artigo apontando como, na investigação sobre a renda da terra, sob a influência de Liebig, Marx conceitualiza o colapso ambiental gerado pelo modo de produção capitalista a partir da noção de ruptura metabólica –contraposta por Marx a um modelo de sociedade futura que busque ativamente a preservação e a melhora da natureza para as gerações futuras.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Pereira Gioppo, Universidade Federal do Paraná

Graduando em Filosofia pela UFPR. Membro bolsista do PET-Filosofia UFPR. Lattes: http://lattes.cnpq.br/7312042936373163

Referências

ADORNO, Theodor. Dialética Negativa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor Ltda, 2009.

BURKETT, Paul. Marx and Nature: a Red and Green Perspective. New York: St. Martin’s Press, 1999.

FOSTER, John Bellamy. Marx’s Ecology: Materialism and Nature. New York: Monthly Review Press, 2000.

GEORGESCU-ROEGEN, Nicholas. Energy and Economy Myths. Southern Economic Journal, v. 41, n. 3, pp. 347-381, 1975.

LÖWY, Michael. O que é ecossocialismo? São Paulo: Cortez, 2014.

MÁRKUS, György. Marxismo e antropologia: o conceito de ‘essência humana’ na filosofia de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

MARQUES, Luiz. Capitalismo e colapso ambiental. 3ª edição revista. Campinas: Editora da Unicamp, 2018.

MARX, Karl. Grundrisse: manuscritos econômicos de 1857-1858. Esboços da crítica da economia política. São Paulo: Boitempo; Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, 2011.

MARX, Karl. Miséria da filosofia. São Paulo: Boitempo, 2017a.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Livro I: o processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Livro II: o processo de circulação do capital. Edição de Friedrich Engels. São Paulo: Boitempo, 2014.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política. Livro III: o processo global de produção capitalista. Edição de Friedrich Engels. São Paulo: Boitempo, 2017b.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto Comunista. 1ª ed. revista. São Paulo: Boitempo, 2010.

ROSDOLSKY, Roman. Gênese e estrutura de O capital de Marx. Rio de Janeiro: EDUERJ: Contraponto, 2001.

SAITO, Kohei. Karl Marx’s Ecosocialism – Capitalism, Nature and the Unfinished Critique of Political Economy. New York: Monthly Review Press, 2017.

SCHMIDT, Alfred. The Concept of Nature in Marx. London, New York: Verso, 2014.

Downloads

Publicado

2021-09-17

Como Citar

Pereira Gioppo, G. (2021). O capital de Marx sob a perspectiva do colapso ambiental: do fetichismo da mercadoria à ruptura metabólica. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 13(2), 110–133. https://doi.org/10.9771/gmed.v13i2.44862