A Resistência dos Estudantes no Modo de Produção Capitalista: considerações sobre o Movimento Estudantil Secundarista

Autores

  • Renata Bento Leme Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v10i3.28639

Palavras-chave:

Educação, Materialismo Histórico, Movimento Estudantil Secundarista.

Resumo

Resumo: A sociedade capitalista, com o modo de produção que visa à acumulação de capital, acaba por gerar grandes conflitos entre duas classes antagônicas: classe trabalhadora e classe dominante, e o Estado tende a gerir as políticas públicas a fim de atender interesses da classe dominante. Entretanto, a exploração demasiada por esse sistema, culminará na organização dos sujeitos explorados que, unidos em movimentos sociais, contestará a ordem vigente. Aos trabalhadores resta a resistência e a reivindicação de seus direitos. Este texto tem o objetivo de discutir sobre como a organização da sociedade capitalista culmina na resistência de estudantes, que integram o Movimento Estudantil Secundarista. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica que se embasa na metodologia do Materialismo Histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Bento Leme, Universidade Estadual de Londrina

Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Londrina - UEL, Graduação em Pedagogia pela UNESP/Marília. Bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES

Referências

DUARTE, Newton. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. 2ª ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2001.

FRIGOTTO, Gaudencio. Os Circuitos da História e o balanço da educação no Brasil na primeira década do Século XXI. In: Revista Brasileira de Educação. V. 16, n. 46, 2011. p. 235-254. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v16n46/v16n46a13

FORACCHI, Marialice M. O estudante e a transformação da sociedade brasileira. São Paulo, Companhia Editora Nacional. 1977.

LENIN, V. I. O Estado e a Revolução. São Paulo: Hucitec. 1987

LEFEBVRE, O pensamento Marxista e a cidade. São Paulo: Ulisseia. 1972.

MARX, Karl. A Miséria da Filosofia. Tradução: José Paulo Netto. São Paulo: Global. 1979.

¬¬¬MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A Ideologia Alemã. São Paulo: Martins Fontes. 1998

NETTO, José Paulo. O que é marxismo. São Paulo: Brasiliense. 2006

ROSA, Marcelo do Nascimento; NASCIMENTO, Aline Cristina. Marxismo e Movimento Social: um elo possível? Seminário Nacional de Teoria Marxista. Uberlândia, MG. 2014.

SADER, Emir. Prefácio. In: MÉSZÁROS, István. A educação para além do capital. 2.ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

SHIROMA, E.; MORAES, M.; EVANGELISTA, O. Política educacional. 4ª ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.

WOOD, Ellen Meiksins. O que é (anti)capitalismo? Crítica Marxista, São Paulo, Ed. Revan, v.1, n.17, 2003, p.37-50.

Downloads

Publicado

2019-05-12

Como Citar

Leme, R. B. (2019). A Resistência dos Estudantes no Modo de Produção Capitalista: considerações sobre o Movimento Estudantil Secundarista. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 10(3), 195–203. https://doi.org/10.9771/gmed.v10i3.28639