A Reificação das Relações Sociais: Fragmentação das Subjetividades no Processo de Produção e Reprodução do Capital

Autores

  • ANA PAULA MONTEIRO DE CARVALHO Universidade Estadual do Ceará
  • JOSÉ DERIBALDO GOMES DOS SANTOS Universidade Estadual do Ceará
  • Josefa Jackline Rabelo Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v10i3.26741

Palavras-chave:

Alienação, Reificação, Totalidade.

Resumo

O objetivo do artigo é recuperar, dos escritos do jovem Lukács, a categoria da Reificação; forma mais desenvolvida de alienação. A categoria explica a capacidade da sociabilidade capitalista em apropriar-se das subjetividades, na evolução da produção e reprodução social, garantindo-lhe a paradoxal longevidade destrutiva. O objeto foi analisado a partir das premissas do método onto-histórico estruturado por Marx, que investiga a gênese e o desenvolvimento da sociedade que reduziu o ser social ao movimento de produção das mercadorias. A investigação aponta para processos reificadores que dificultam a apreensão da totalidade, imprescindível para a autoconsciência do ser social como produtor de sua realidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

ANA PAULA MONTEIRO DE CARVALHO, Universidade Estadual do Ceará

Mestre em educação pela Universidade Estadual do Ceará. Participante do Grupo de Pesquisa Trabalho, Educação, Estética e Sociedade (GPTRESS) do Programa de Pós-graduação em Educação da UECE. Professora da Educação Básica-Rede Pública do Estado do Ceará.

JOSÉ DERIBALDO GOMES DOS SANTOS, Universidade Estadual do Ceará

Professor Doutor do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) e do Mestrado Acadêmico Intercampi em Educação e Ensino (MAIE) da Universidade Estadual do Ceará. Coordenador do Laboratório de Pesquisa sobre Políticas Sociais do Sertão Central (LAPPS) e do Grupo de Pesquisa Trabalho, Educação, Estética e Sociedade (GPTRESS) do Programa de Pós-Graduação em Educação da UECE.

Josefa Jackline Rabelo, Universidade Federal do Ceará

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal do Ceará (1992); mestrado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (1997) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Ceará (janeiro de 2005). Pós-Doutora pela École des Hautes Études en Sciences Sociales - EHSS - Paris-Franca. Professora permanente da Linha de Pesquisa Marxismo, Educação e Luta de Classes do Programa de Pós-Graduação em Educação Brasileira da Universidade Federal do Ceará. Pesquisadora-Colaboradora do Instituto de Estudos e Pesquisas do Movimento Operário - IMO do Centro de Educação da Universidade Estadual do Ceará.

Referências

Martins Fontes, 2003.

______. Para uma ontologia do ser social I. Tradução de Carlos Nelson Coutinho, Mario Duayer, Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2012.

______. Para uma ontologia do ser social II. Tradução de Nélio Schneider. São Paulo: Boitempo, 2013.

NETTO, José Paulo. Capitalismo e Reificação. São Paulo: Ciências Humanas, 1981.

Downloads

Publicado

2019-05-12

Como Citar

CARVALHO, A. P. M. D., SANTOS, J. D. G. D., & Rabelo, J. J. (2019). A Reificação das Relações Sociais: Fragmentação das Subjetividades no Processo de Produção e Reprodução do Capital. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 10(3), 186–194. https://doi.org/10.9771/gmed.v10i3.26741