MARXISMO E A ORGANIZAÇÃO DO ENSINO DE MATEMÁTICA: SIGNIFICAÇÕES DE SUJEITOS EM GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/gmed.v10i1.25069

Palavras-chave:

Educação Matemática, Organização do Ensino, Marxismo e Educação, Perspectiva Lógico-Histórica.

Resumo

Neste artigo, objetivamos apresentar um recorte de uma pesquisa de mestrado, no qual buscamos compreender quais as possibilidades de inter-relação entre a teoria marxista e a organização do ensino de Matemática. Para isso, investigamos o processo de significação de sujeitos-participantes de um grupo de estudos e pesquisas ao discutirem coletivamente pressupostos da obra marxista para a organização do ensino de Matemática. A partir da análise interpretativa, constatamos que um ponto de aproximação, entre a obra marxista com a organização do ensino de Matemática na perspectiva lógico-histórica, está associado à compreensão de como se dá o desenvolvimento do conhecimento por meio da ótica do materialismo histórico-dialético. Os dados construídos pela pesquisa revelaram a necessidade de reflexão conjunta sobre pressupostos da teoria marxista para a organização do ensino de Matemática.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Everaldo Gomes Leandro, UFSCar/Doutorando

Educador Matemático. Graduado em Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) com período de intercâmbio na Universidad Nacional Del Sur (UNS - Argentina). Especialista em Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação no Ensino Básico pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Doutorando e Mestre em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Tem experiência com a docência nas séries finais do ensino fundamental, no ensino médio, no ensino superior (Licenciatura em Matemática e Bacharelados em Engenharia) e com a formação de professores que ensinam Matemática nos anos iniciais (PNAIC/FNDE). Em meu currículo os termos mais frequentes na contextualização da produção científica, tecnológica e artístico-cultural são: Formação de Professores, História na Educação Matemática, Educação Conceitual, Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação, Objetos de Aprendizagem, Ensino e Aprendizagem de Matemática, Teoria Histórico-Cultural.

Maria do Carmo de Sousa, UFSCar/Professora

Licenciada em Matemática pela UNISO (1989). Especialista em Matemática pela UNICAMP (1993). Mestre em Educação pela UNICAMP (1999) e Doutora em Educação pela UNICAMP (2004), área de concentração em Educação Matemática. Pós-doutorado pela Faculdade de Educação da USP- FEUSP (2016). Exerce o cargo de professor associado na Universidade Federal de São Carlos (DME-UFSCar). Líder do Grupo de Pesquisa Formação Compartilhada de Professores Escola e Universidade (GPEFCom-UFSCar). Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas sobre a Atividade Pedagógica (GEPAPE-FEUSP). Coordenadora da área Matemática do PIBID-UFSCar (campus de São Carlos). Possui experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Matemática. Desenvolve pesquisa nas seguintes temáticas: Formação de Professores, Educação Matemática, Educação Conceitual, História da Matemática e ensino de álgebra. Coordenou o Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação (PPGPE - UFSCar), no período de 2012 a 2014; Coordenou o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID-UFSCar), no período de 2008 a 2014. Coordenou o Programa Observatório da Educação (OBEDUC-UFSCar), no período de 2009 a 2012. Atuou no cargo de professor assistente na UNESP - Presidente Prudente; como docente e supervisora de EAD - Cegesp (UNICAMP) e, na Educação Básica, em escolas públicas e particulares, da cidade de Salto/SP.

José Antônio Araujo Andrade, UFLA/Professor

Possui Licenciatura Plena em Matemática pela Universidade São Francisco (2000), Mestrado em Educação pela Universidade São Francisco (2004) e Doutorado em Educação na Universidade Federal de São Carlos (2012). Atuou como diretor de apoio e desenvolvimento pedagógico na Pró-Reitoria de Graduação (PRG) da Universidade Federal de Lavras (UFLA) e foi membro da Comissão Própria de Avaliação da UFLA (2012-2014). Atualmente é professor do Setor de Educação Matemática do Departamento de Ciências Exatas da UFLA e está responsável pela Diretoria de Avaliação e Desenvolvimento do Ensino da PRG/UFLA. Leciona em cursos de graduação (em especial na Licenciatura em Matemática) e na pós-graduação. É docente permanente do Programa de Mestrado em Educação, desenvolvendo pesquisas na linha Educação Mediada por Tecnologias e também atua como docente e pesquisador no Programa de Mestrado Nacional em Ensino de Física na linha Processos de Ensino e Aprendizagem no Ensino de Física. Tem experiência na área de Matemática e Educação Matemática, com ênfase no ensino de Matemática, atuando principalmente nos seguintes temas: modelagem em educação matemática, história das ciências, ensino de matemática em ambientes computacionais e formação de professores.

Downloads

Publicado

2018-05-29

Como Citar

Leandro, E. G., Sousa, M. do C. de, & Andrade, J. A. A. (2018). MARXISMO E A ORGANIZAÇÃO DO ENSINO DE MATEMÁTICA: SIGNIFICAÇÕES DE SUJEITOS EM GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS. Germinal: Marxismo E Educação Em Debate, 10(1), 326–337. https://doi.org/10.9771/gmed.v10i1.25069