RELEITURA DO EVENTO CPI DA COVID-19 A PARTIR DO GÊNERO DISCURSIVO CHARGE À LUZ DA ANÁLISE DE DISCURSO CRÍTICA

Autores

  • Eleni Gentil Amaral Universidade Estadual do Ceará
  • Leonardo de Oliveira Colares Universidade Federal do Ceará https://orcid.org/0000-0002-7464-6870
  • Marcílio José Ferreira Nunes Universidade Estadual do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.i72.46609

Palavras-chave:

Análise de Discurso Crítica, CPI da Covid-19, Gêneros Discursivos

Resumo

Como indivíduos dotados de linguagem, os seres humanos se comunicam a partir de gêneros discursivos. Partindo disso, tem-se como objetivo neste trabalho analisar como o gênero discursivo charge representa e (re)constrói, discursivamente, o evento da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Para isso, o presente texto apoia-se nos pressupostos da Análise de Discurso Crítica (FAIRCLOUGH, 2003), ao compartilhar da ideia de discurso como prática social. Na análise de duas charges que tratam do evento CPI da Covid-19, percebe-se que a (re)construção de uma dada situação sociodiscursiva se dá a partir da mobilização de recursos semânticos como a ironia e a metáfora, como modo de fomentar uma reflexão crítica acerca do negacionismo e do anticientificismo do discurso bolsonarista. Conclui-se que o uso de gêneros discursivos não se dá de modo aleatório, mas sim como ações que geram criticidade e mudanças na estrutura social.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eleni Gentil Amaral, Universidade Estadual do Ceará

Eleni Gentil Amaral, possui MBA em Gestão Educacional pela Universidade Sete de Setembro - CE, especializações em Psicopedagogia pela UniChristus -CE e Gestão Escolar pela Universidade Anhembi-Morumbi - SP. Graduada em Letras pela FATEMA - SP - Título reconhecido pela USP - Universidade de São Paulo.

Leonardo de Oliveira Colares, Universidade Federal do Ceará

Leonardo de Oliveira Colares: mestrando em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Especialista em Ensino de Língua Portuguesa e graduado em Letras Português pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Bolsista da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP).

Referências

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Tradução [feita a partir do francês] de Maria Emsantina Galvão G. Pereira. Revisão da tradução Marina Appenzellerl. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In: BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2006. p. 261-306 [1952-1953].

BEAUGRANDE, Robert de. New Foundations for a Science of Text and Discourse: Cognition, Communication, and the Freedom of Access to knowledge and society. Norwood, New Jersey: Ablex, 1997.

BESSA, Décio; SATO, Denise Tamaê Borges. Categorias de análise. In: BATISTA JUNIOR, J. R. Lopes; SATO, Denise Tamaê Borges; MELO, Iran Ferreira de. (org.). Análise de discurso crítica para linguistas e não linguistas. São Paulo: Parábola, 2018. p. 124-157.

BRAIT, Beth. Ironia em perspectiva polifônica. Campinas: Editora da Unicamp, 1996.

ESPÍNDOLA, Lucienne. A charge no ensino da língua portuguesa. Letr@ Viv@, João Pessoa, v. 1, n. 1, 1999.

FAIRCLOUGH, Norman. Analyzing Discourse: textual analysis for social research. New York: Routledge, 2003.

FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Coordenadora da tradução Izabel Magalhães. Brasília: Editora da UnB, 2001.

FAIRCLOUGH, Norman; MELO, Iran. Análise Crítica do Discurso como método em pesquisa social científica. Linha D’Água, v. 25, n. 2, p. 307-329, 2012. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v25i2p307-329. Disponível em: https://www.revistas.usp. br/linhadagua/article/view/47728. Acesso em: 10 jan. 2022.

FERREIRA, Ruberval. A questão da representação na Análise de Discurso Crítica: algumas questões para o debate. In: MAGALHÃES et al. Anais do Seminário de Análise de Discurso Crítica. Fortaleza: UFC, 2010.

GONZAGA, Magnus José Barros; SOUZA, Vivian. Soares de. Pandemia e trabalho precarizado na era digital: nuances do capitalismo global. In: XII Seminário do Trabalho: Crise capitalista, Precarização do Trabalho e Colapso Ambiental, Anais [...], [Projeto editorial Praxis], Marília, v. 1, p. 31-38, 2021.

HALLIDAY, M. A. K. An Introduction to Functional Grammar. London: Edward Arnold, 1991.

KOCH, Ingedore Villaça; ELIAS, Vanda Maria. Ler e compreender: os sentidos do texto. 3. ed. 8. reimp. São Paulo: Contexto, 2013.

MAGALHÃES, Izabel; MARTINS, André Ricardo; RESENDE, Viviane. Melo. Análise de Discurso Crítica: um método de pesquisa qualitativa. Brasília: Editora da UnB, 2017.

MBEMBE, Achille. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política da morte. Tradução de Renata Santini. São Paulo: N-1 edições, 2018.

RAMALHO, Viviane. Análise de Discurso Crítica da Publicidade. S. l.: LabCom Books, 2010. Disponível em: http://labcom.ubi.pt/ficheiros/ ramalho-analise-2010.pdf. Acesso em: 10 maio 2021.

RESENDE, Viviane Melo; RAMALHO, Viviane. Análise de Discurso Crítica. São Paulo: Contexto, 2006.

ROMUALDO, Edson Carlos. Charge Jornalística: intertextualidade e polifonia: um estudo de charge da Folha de São Paulo. Maringá: Eduem, 2000.

SIEBERT, Silvana; PEREIRA, Israel Vieira. A pós-verdade como acontecimento discursivo. Linguagem em (Dis)curso – LemD, Tubarão, v. 20, n. 2, p. 239-249, maio/ago. 2020. Disponível em: https://portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/Linguagem_Discurso/article/view/9579. Acesso em: 20 jul. 2021.

THOMPSON, John. Ideologia e Cultura Moderna. Petrópolis: Vozes, 2009.

WODAK, Ruth. De qué trata el análisis crítico del discurso. Resumen de su historia, sus conceptos fundamentales y sus desarrollos. In: WODAK, Ruth; MEYER, Michel (org.). Métodos de Análisis Crítico del Discurso. Barcelona: Gedisa, 2003. p. 17-34.

Downloads

Publicado

2022-05-10

Como Citar

AMARAL, E. G.; COLARES, L. de O.; NUNES, M. J. F. RELEITURA DO EVENTO CPI DA COVID-19 A PARTIR DO GÊNERO DISCURSIVO CHARGE À LUZ DA ANÁLISE DE DISCURSO CRÍTICA. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 72, p. 170–194, 2022. DOI: 10.9771/ell.i72.46609. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/46609. Acesso em: 28 maio. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES