COVID-19 E SUAS METÁFORAS: “ROTEIRO” OU “RODÍZIO”?

Autores

  • Maria Clotilde Almeida Universidade de Lisboa
  • Rui Geirinhas Universidade de Lisboa

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.v0i69.44289

Palavras-chave:

COVID-19, figurações metafóricas, retórica política, metáfora e persuasão, metáforas culturalmente marcadas.

Resumo

O presente estudo cognitivo de índole qualitativa, ancorado na teoria da metáfora conceptual (LAKOFF; JOHNSON, 1980; GIBBS, 2017), assume como objetivo identificar os domínios-fonte de um leque de metáforas conceptuais usadas para representar a COVID-19, no contexto do discurso político. O facto de se tratar de doença infeciosa até agora desconhecida, com elevado risco de contágio e alguma taxa de mortalidade, promove a necessidade de a balizar semanticamente por via de figurações metafóricas e metonímias, tendo em vista a compreensão possível do fenómeno pandémico pelos cidadãos. A presente investigação visa traçar uma cronologia das metáforas de COVID-19 veiculadas pelos líderes políticos portugueses e pelo primeiro-ministro inglês, ao longo da vigência da pandemia, tomando como ponto de partida as imagens metafóricas de GUERRA. Coloca-se como questão de fundo se a evolução pandémica é acompanhada por uma sucessividade de figurações metafóricas dos líderes políticos, numa estratégia discursiva de “roteiro”, ou se o discurso político incide recorrentemente sobre as metáforas de GUERRA, numa estratégia discursiva de “rodízio”. Dado que se comprovou que os líderes políticos em questão enveredam pela estratégia discursiva de “roteiro”, o nosso foco incide sobre as metáforas culturalmente marcadas (HIDALGO-DOWNING; KRALJEVIC-MUJIC, 2009).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-04-15

Como Citar

ALMEIDA, M. C.; GEIRINHAS, R. COVID-19 E SUAS METÁFORAS: “ROTEIRO” OU “RODÍZIO”?. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 69, p. 90–105, 2021. DOI: 10.9771/ell.v0i69.44289. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/44289. Acesso em: 6 dez. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES