ANOTAÇÕES SOBRE O NEOMEDIEVALISMO EM CANTIGAS DE AMARES, DE LEDA MARIA MARTINS

Autores

  • Henrique Marques Samyn Universidade do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.i70.43801

Palavras-chave:

Neomedievalismo, Poesia brasileira, Poesia de autoria negra

Resumo

O presente artigo tenciona apresentar algumas considerações acerca de uma pesquisa em construção, cujo objeto central são composições poéticas presentes no livro Cantigas de amares, da escritora brasileira Leda Maria Martins. O artigo resgata as condições de emergência da investigação, no âmbito da trajetória acadêmica do pesquisador proponente; apresenta alguns apontamentos sobre o conceito de neomedievalismo na poesia brasileira, conforme proposto por Maria do Amparo Tavares Maleval; e expõe, em linhas gerais, a questão central da investigação proposta, ilustrando-a com alguns apontamentos iniciais sobre o poema intitulado “Cantiga 1”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARIAS FREIXEDO, Xosé Bieito. Antoloxía da lírica galego-portuguesa. Vigo: Ediciós Xerais de Galicia, 2003.

CORRAL DÍAZ, Esther. As mulleres nas cantigas medievais. A Coruña: Seminario de Estudos Galegos – Ediciós do Castro, 1996.

DUARTE, Eduardo de Assis (Org.). Literatura e afrodescendência no Brasil. 4v. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

FIGUEIREDO, Maria do Carmo L. Leda Maria Martins. In: DUARTE, Eduardo de Assis (Org.). Literatura e afrodescendência no Brasil. 4v. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

MALEVAL, Maria do Amparo Tavares. Poesia medieval no Brasil. Rio de Janeiro: Ágora da Ilha, 2002.

MARTINS, Leda Maria. A cena em sombras. São Paulo: Perspectiva, 1995.

MARTINS, Leda Maria. Afrografias da memória. São Paulo: Perspectiva; Belo Horizonte: Mazza Edições, 1997.

MARTINS, Leda Maria. Cantigas de amares. Belo Horizonte: s./ed., 1983.

MARTINS, Leda Maria. O moderno teatro de Qorpo-Santo. Belo Horizonte: Editora UFMG; Mariana: UFOP, 1991.

MARTINS, Leda Maria. Os dias anônimos. Rio de Janeiro: Sette Letras, 1999.

SAMYN, Henrique Marques. A morte e o mar: Mendinho e Manuel Bandeira. In: Atas da VI Semana de Estudos Medievais. Rio de Janeiro: Programa de Estudos Medievais, 2005, p. 351-357.

SAMYN, Henrique Marques. A pastora e a alegoria: a invenção da pastorela alegórica – da lírica occitânica aos Carmina Burana e ao trovadorismo galego-português. Niterói: Editora da Universidade Federal Fluminense, 2019.

SAMYN, Henrique Marques. A soldadeira e seus clérigos: para uma leitura feminista de ''Mayor Garcia ssenpr' oy[o] dizer'' (B 1455/V 1065), de João Baveca. Idioma, v. 27, 2014, p. 39-48.

SAMYN, Henrique Marques. Do erotismo entre mulheres em duas cantigas trovadorescas: sobre Mari'Mateu, ir-me quer'eu daquém (B 1583, V 1115), de Afonso Anes do Cotom; e A vós, Dona Abadessa (B 1604bis, V 1137), de Fernando Esquio. In: CARDOSO, Patrícia da Silva; BUENO, Luís. (Org.). Nós e as Palavras. Cotia: Ateliê Editorial, 2018, p. 203-218.

SAMYN, Henrique Marques. Elvira Lopez, seu `Peom’ e sua `Maeta’: sobre duas cantigas satiricas de Joao Garcia de Guilhade. Texto Poético, v. 16, 2020a.

SAMYN, Henrique Marques. Feminilidades desviantes na lírica trovadoresca galego-portuguesa: acerca de três cantigas sobre soldadeiras. Signum, v. 20, 2020b, p. 22-43.

SAMYN, Henrique Marques. Sobre a “negrura” de Maria Negra: apontamentos sobre três cantigas satíricas de Pero Garcia Burgalês. Abriu: estudos de textualidade do Brasil, Galicia e Portugal. v. 9, 2020c, p. 125-142.

TAVANI, Giuseppe. Arte de trovar do Cancioneiro da Biblioteca Nacional de Lisboa. Lisboa: Edições Colibri, 1999.

Downloads

Publicado

2021-12-11

Como Citar

SAMYN, H. M. ANOTAÇÕES SOBRE O NEOMEDIEVALISMO EM CANTIGAS DE AMARES, DE LEDA MARIA MARTINS. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 70, p. 444–454, 2021. DOI: 10.9771/ell.i70.43801. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/43801. Acesso em: 23 maio. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES