PINGUELA OU PONTE? CÓRREGO OU RIACHO? VARIAÇÃO SEMÂNTICO-LEXICAL NOS DADOS DO ATLAS LINGUÍSTICO DO BRASIL (ALiB)

Autores

  • Genivaldo da Conceição Oliveira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.v0i68.38845

Palavras-chave:

Dialetologia, Geolinguística, Português Brasileiro, Variação.

Resumo

Este trabalho apresenta os resultados da análise das denominações registradas, nos estados da Bahia e do Paraná, no campo semântico acidentes geográficos nas cidades que constituem a rede de pontos do Atlas Linguístico do Brasil (ALiB) nesses dois estados. Baseamos nosso estudo nos princípios teóricos da Dialetologia, Sociolinguística, Lexicologia e Lexicografia. O corpus é constituído das perguntas 1 a 4 do Questionário Semântico-Lexical (QSL) e se utiliza do método da Geolinguística para a análise espacial dos dados. Enfatizamos o aspecto diatópico, contudo, recorremos, de maneira periférica, à análise de outras variáveis como a diastrática e a diageracional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Genivaldo da Conceição Oliveira, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Após algumas idas e vindas dos Estados Unidos da América, voltei para o Brasil em 2008 com um diploma de Mestre em Linguística, com especialização em Fonética e Fonologia, obtido na Universidade do Texas em Austin. Em 2009, passei em dois concursos públicos federais. Optei pela Universidade Federal. Em 2010, participei da seleção para o Doutorado em Linguística no Programa de Pós-Graduação em Língua e Cultura (PPGLinC) da Universidade Federal da Bahia. Fui aprovado e comecei as disciplinas em 2011. Conclui meu Doutorado em 2014, sob a orientação da Professora Doutora Suzana Alice Cardoso, que me ensinou, com sabedoria e profundidade, os caminhos da Dialetologia e a grandeza do Atlas Linguístico do Brasil (ALiB).

Downloads

Publicado

2021-05-28

Como Citar

Oliveira, G. da C. (2021). PINGUELA OU PONTE? CÓRREGO OU RIACHO? VARIAÇÃO SEMÂNTICO-LEXICAL NOS DADOS DO ATLAS LINGUÍSTICO DO BRASIL (ALiB). Estudos Linguísticos E Literários, (68), 139–163. https://doi.org/10.9771/ell.v0i68.38845

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES