CORPUS PARA PESQUISAS EM INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA (ILF): ONDE ESTAMOS E PARA ONDE VAMOS

Autores

  • Ana Beatriz Almeida Universidade Federal da Bahia
  • Lucielen Porfirio Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.v0i67.38295

Palavras-chave:

Inglês como Língua Franca, Corpus, Mapeamento, Dados empíricos.

Resumo

O Inglês como Língua Franca (ILF) surge de interações em contextos comunicativos multilíngues nos quais o Inglês é conhecido pelos falantes e está sempre na mistura durante a interação (JENKINS, 2015). Para compreender ILF, corpora disponibilizaram dados empíricos para pesquisas em vários locais do mundo (VOICE, 2001; ELFA, 2004). Com o aumento de estudos em ILF no Brasil, Gimenez e Bordini (2014) notaram uma lacuna em estudos empíricos com uma perspectiva local de ILF. Assim, apresentamos um mapeamento de pesquisas com base em corpora em ILF no Brasil entre 2001 e 2018. Para isso, foram realizadas buscas na plataforma CAPES, Google Scholar e referências dos trabalhos analisados com foco em Inglês como Língua Franca, Inglês como Língua Internacional e pesquisa de corpus. A partir dos resultados encontrados, sugerimos um banco de dados com interações em ILF ocorridas no país visando fornecer subsídios para trabalhos locais ou em uma escala mais abrangente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-04-04

Como Citar

ALMEIDA, A. B.; PORFIRIO, L. CORPUS PARA PESQUISAS EM INGLÊS COMO LÍNGUA FRANCA (ILF): ONDE ESTAMOS E PARA ONDE VAMOS. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 67, p. 588–613, 2021. DOI: 10.9771/ell.v0i67.38295. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/38295. Acesso em: 29 jun. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES