OLHOS EMBOTADOS DE PRESENTE: ANOTAÇÃO COMO PROCEDIMENTO ESPECULATIVO EM JULIÁN FUKS E PATRICIO PRON

Autores

  • Mônica Menezes Santos Universidade Federal da Bahia
  • Rafael Gurgel Almeida Universidade Federal da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.9771/ell.v1i66.35772

Palavras-chave:

Anotação, Ficção especulativa, Pós-memória, Ditadura militar.

Resumo

A proposta do artigo é ler comparativamente dois romances contemporâneos em um esforço por compreender como a Notatio, noção do semiólogo francês Roland Barthes, possibilita empreendimentos memorialísticos e especulativos. Portanto, nesta leitura de A resistência (2014), de Julián Fuks, e O espírito dos meus pais continua a subir na chuva (2011), de Patricio Pron, interessa-nos perceber as estratégias para elaboração de textos que pouco se distendem sobre lugares, personagens ou acontecimentos, mas revelam um jogo de contiguidade entre real e ficção capaz de reelaborar memórias sobre as ditaduras militares argentina e brasileira. Ao pensar sobre os procedimentos formais em seu encontro com a memória pública, acionamos Azevedo (2017), Sarlo (2017) e Ludmer (2013).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mônica Menezes Santos, Universidade Federal da Bahia

Mônica Menezes Santos é professora doutora de Literatura Brasileira do Instituto de Letras da UFBA, atuando também no Mestrado Profissional em Letras.

Rafael Gurgel Almeida, Universidade Federal da Bahia

Rafael Gurgel Almeida é mestrando no Programa de Pós-graduação em Literatura e Cultura da UFBA - PPGLitCult, com pesquisa sobre literatura contemporânea e ditadura.

Downloads

Publicado

2020-09-26

Como Citar

SANTOS, M. M.; ALMEIDA, R. G. OLHOS EMBOTADOS DE PRESENTE: ANOTAÇÃO COMO PROCEDIMENTO ESPECULATIVO EM JULIÁN FUKS E PATRICIO PRON. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, v. 1, n. 66, p. 207–220, 2020. DOI: 10.9771/ell.v1i66.35772. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/35772. Acesso em: 26 maio. 2022.

Edição

Seção

ARTIGOS / ARTICLES