O drama da descolonização em imagens em movimento - a propôs do “nascimento” dos cinemas luso-africanos

Autores

  • Carolin Overhoff Ferreira Unifesp

DOI:

https://doi.org/10.9771/2176-4794ell.v0i53.16120

Palavras-chave:

audiovisual luso-africano, história de cinema, trans-nacionalidade, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique

Resumo

Este artigo procura oferecer uma visão panorâmica das histórias do audiovisual nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) desde suas independências. A criação de novos estados-nações em 1974 e 75 levou ao “nascimento” destas histórias. Na apresentação do percurso delas haverá um enfoque crítico na ainda atual e necessária realização de uma descolonização da mente, bem como na transnacionalidade da produção audiovisual no contexto dos países soberanos, que resultou da inexistência de possiblidades de formação em Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau e Moçambique. Consequentemente, profissionais de diversos países foram envolvidos no estabelecimento de práticas do audiovisual durante e depois das lutas anticoloniais e na tentativa de emancipar os espectadores. Sendo assim, o presente trabalho atualiza estudos já existentes por meio de uma revisão bibliográfica do conhecimento desenvolvido nos últimos anos acerca da produção e análise das obras audiovisuais criadas entre 1974 e 2015.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-10-12

Como Citar

FERREIRA, C. O. O drama da descolonização em imagens em movimento - a propôs do “nascimento” dos cinemas luso-africanos. Estudos Linguísticos e Literários, Salvador, n. 53, p. 177–221, 2016. DOI: 10.9771/2176-4794ell.v0i53.16120. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/estudos/article/view/16120. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Estudos Literários