Na cobertura da retaguarda

mulheres angolanas na luta anticolonial

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i68.53543

Palavras-chave:

Angola, Mulheres, Economia de guerra, Trabalho logístico, Atividades econômicas

Resumo

Em Angola, nas narrativas sobre a guerra de independência, é corrente o reconhecimento de que mulheres comuns contribuíram na luta anticolonial, ressaltando-se as inúmeras atividades e tarefas desenvolvidas por essas mulheres na guerra de libertação nacional. Neste sentido, com base em depoimentos orais e fontes militares, este artigo acentua a atuação de mulheres, a partir dos trabalhos realizados nas zonas libertadas, em sua manutenção e sustentabilidade, e fora dessas zonas, em atuações específicas, nas diferentes províncias de Angola. Argumento que um conjunto de mulheres anônimas, muitas delas camponesas, mantiveram uma “economia anticolonial”, buscando manter certa autonomia para a luta, independente da administração portuguesa. Em vista disso, acredito que elas devem ser consideradas “guerrilheiras” e não apenas “combatentes”, de modo a colocar em questão a secundarização a que foram relegadas pela historiografia e pelas narra tivas posteriores sobre a guerra de libertação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2023-12-31

Como Citar

SILVA, D. A. S. da. Na cobertura da retaguarda : mulheres angolanas na luta anticolonial. Afro-Ásia, Salvador, n. 68, p. 252–294, 2023. DOI: 10.9771/aa.v0i68.53543. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/53543. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos