Neoliberalismo, Estado e território

as “guerras pela terra” na Índia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i67.51897

Palavras-chave:

Zonas Econômicas Especiais, Corredor Industrial Delhi-Mumbai, Make in India, Desterritorialização, ìndia

Resumo

O presente trabalho discute criticamente a implementação de Zonas Econômicas Especiais (ZEE) e a construção do Corredor Industrial Delhi-Mumbai (CIDM) como projetos que resultaram numa redistribuição regressiva da propriedade agrária na Índia após as reformas liberalizantes de 1991. Com base na análise de documentos oficiais, da legislação agrária e na discussão de protestos contra a desterritorialização, proponho uma releitura das estratégias do Governo da Índia para promover a disponibilização de terras para grandes empreendimentos. Contra a vertente que se apoia na noção de “regimes domésticos de despossessão”, argumento que as ZEE, o CIDM e o mais recente Make in India foram concebidos para atrair investimentos estrangeiros, transformar o país num “manufacturing hub” e aumentar o volume de exportações. Trata-se, portanto, de uma rearticulação da “dialética interior-exterior”, na qual as medidas coercitivas internas não são analiticamente separadas das estratégias para promover a maior inserção e competitividade da Índia no cenário global.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Enrique Vieira de Souza, Universidade Federal da Bahia

Doutorado em Sociologia pela Universidade de São Paulo. Professor adjunto da Universidade Federal da Bahia.

Downloads

Publicado

2023-08-10

Como Citar

SOUZA, L. E. V. de. Neoliberalismo, Estado e território : as “guerras pela terra” na Índia. Afro-Ásia, Salvador, n. 67, p. 350–397, 2023. DOI: 10.9771/aa.v0i67.51897. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/51897. Acesso em: 23 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos