Os beneméritos de Santa Efigênia:

sobre a ascensão de uma devoção negra no Alto da Cruz de Vila Rica, 1733-1832

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i67.51073

Palavras-chave:

Escravismo, Religiosidade, Irmandades, Vila Rica, Santa Efigênia

Resumo

Nosso objetivo é analisar o envolvimento de indivíduos pardos com a devoção de uma santa africana, a Santa Efigênia, na Irmandade do Rosário dos Pretos do Alto da Cruz, em Vila Rica. A análise tem como base, especialmente, os documentos da tesouraria da confraria e o Livro dos Brancos, bem como as trajetórias de vidas e redes sociais de pardos da confraria. Percebemos que o investimento nas celebrações desta irmandade revela que o sodalício do Alto da Cruz  elegeu a invocação de Santa Efigênia como símbolo principal de sua  sociabilidade. Os irmãos pardos, aos quais nos referimos como beneméritos, tiveram atuação decisiva. O investimento votivo de pardos livres ou libertos na celebração de Efigênia tanto representou uma tentativa de demonstração de ascensão e prestígio social, a partir de uma comunidade negra, como, ao mesmo tempo, conferiu a esta solenidade um caráter de autonomia e mobilidade frente aos estigmas do escravismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Antunes, Universidade Federal de Ouro Preto

Mestrado em História pela Universidade Federal de Ouro Preto, Brasil(2022)
Pesquisadora da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior , Brasil

Downloads

Publicado

2023-08-10

Como Citar

ANTUNES, A. Os beneméritos de Santa Efigênia:: sobre a ascensão de uma devoção negra no Alto da Cruz de Vila Rica, 1733-1832. Afro-Ásia, Salvador, n. 67, p. 12–51, 2023. DOI: 10.9771/aa.v0i67.51073. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/51073. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos