O Sítio Dagomé

um candomblé rural no século XIX (Salvador, Bahia)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i66.50247

Palavras-chave:

Candomblé, Cartografia, Conflitos fundiários, Daomé, Libertos africanos

Resumo

O artigo apresenta informações sobre o Sítio Dagomé, um candomblé rural que funcionou na cidade de Salvador (Bahia) entre as décadas de 1830 e 1870. A partir de uma planta topográfica do terreiro produzida no fim do século XIX, o artigo explora as possibilidades historiográficas da cartografia para revelar aspectos da espacialidade, a sociabilidade e a práxis ritual do grupo religioso. Num segundo momento, trata do candomblé rural e dos conflitos fundiários entre rendeiros e proprietários, mostrando a imbricação entre a luta pela posse da terra, a economia agrícola e a institucionalização do candomblé. Na parte final, o texto examina a rede social da liderança do terreiro, indagando até que ponto a comunicação atlântica mediada por mercadores e viajantes africanos, na primeira metade do século, teve alguma incidência na formação do sítio Dagomé.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luis Nicolau Parés, Universidade Federal da Bahia

Doutorado em Antropologia da Religião pela School Of Oriental And African Studies University Of London, Grã-Bretanha(1997). Professor associado da Universidade Federal da Bahia , Brasil.

Downloads

Publicado

2022-12-31

Como Citar

PARÉS, L. N. O Sítio Dagomé: um candomblé rural no século XIX (Salvador, Bahia). Afro-Ásia, Salvador, n. 66, p. 116–164, 2022. DOI: 10.9771/aa.v0i66.50247. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/50247. Acesso em: 21 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos