Dos tripulantes da história

o africano Duarte José Martins da Costa entre a “rede miúda” do tráfico atlântico (Rio de Janeiro ─ Angola ─ Recife ─ Benim, séc. XIX)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i65.44960

Palavras-chave:

Africanos, Libertos, Marinheiros, Tráfico atlântico de escravos, Escravidão

Resumo

O presente artigo recupera fragmentos da vida do marinheiro Duarte José Martins da Costa, cujas experiências de escravidão e de liberdade estiveram nas encruzilhadas do comércio negreiro entre as costas ocidental e centro-ocidental da África e a do Brasil. Por meio de sua trajetória, cotejamos as conexões atlânticas que envolveram negociantes de pequeno porte, marítimos, agenciadores de cativos; libertos, escravizados, livres; europeus, americanos, africanos; brancos, negros e “mestiços”, os quais compõem o que denominamos de “rede miúda” do tráfico negreiro também responsável pela amplitude do comércio ilegal do Brasil do século XIX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-06-19

Como Citar

COSTA, V.; GOMES, F. Dos tripulantes da história: o africano Duarte José Martins da Costa entre a “rede miúda” do tráfico atlântico (Rio de Janeiro ─ Angola ─ Recife ─ Benim, séc. XIX). Afro-Ásia, Salvador, n. 65, p. 203–245, 2022. DOI: 10.9771/aa.v0i65.44960. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/44960. Acesso em: 4 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê