"Nossa história é outra como é outra nossa problemática": Beatriz Nascimento por sua obra

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i63.44056

Resumo

Resenha de:

NASCIMENTO, Beatriz.  Beatriz Nascimento, quilombola e intelectual. Possibilidades nos dias da destruição. São Paulo: Editora Filhos da África, 2018. 488p.

Biografia do Autor

Lucilene Reginaldo, Universidade Estadual de Campinas-Unicamp

Possui graduação em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (1991), mestrado em História pela mesma universidade (1995) e doutorado em História Social pela Universidade Estadual de Campinas (2005). Atualmente é professora de História da África no Departamento de História da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. É autora do livro Os Rosários dos Angolas: irmandades e africanos e crioulos na Bahia Setecentista (2011). Tem experiência nas áreas de Teoria e Metodologia da História; História da Bahia e História de Angola e do Congo no século XVIII, História da escravidão no Império Português, focalizando especialmente as irmandades negras. Atualmente desenvolve pesquisas sobre: mobilidade geográfica e social de libertos e pessoas de cor livres no Atlântico luso africano; marcadores da diferença e racismo nos séculos XVIII e XIX; catolicismo, missões e sociedades autônomas africanas no norte de Angola e no Reino do Congo, também nos séculos XVIII e XIX. (Texto informado pelo autor)

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

REGINALDO, L. "Nossa história é outra como é outra nossa problemática": Beatriz Nascimento por sua obra. Afro-Ásia, [S. l.], n. 63, 2021. DOI: 10.9771/aa.v0i63.44056. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/44056. Acesso em: 22 set. 2021.

Edição

Seção

Resenhas