A importância do café para São Tomé e Príncipe frente à proibição do comércio de escravizados pela Inglaterra

Autores

  • Alan de Carvalho Souza Instituto de Ciências Sociais (ICS) e Centro de História da Faculdade de Letras - Universidade de Lisboa.

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i63.38370

Palavras-chave:

Café | São Tomé e Príncipe | Tráfico de escravizados

Resumo

Este artigo aborda a cultura cafeeira em São Tomé e Príncipe durante o período imediatamente posterior à proibição inglesa do comércio de escravizados em 1807. Considerada a cultura capaz de desenvolver a agricultura no arquipélago, o café, apesar da resistência inicial ao seu cultivo, manteve o interesse e a presença de embarcações estrangeiras quando da interdição inglesa e da isenção de ancoragem concedida pela Coroa portuguesa a todos os navios do Brasil que comercializavam na Costa da Mina; desde que fossem recolhidos os direitos aos portos onde ocorreram as barganhas comerciais. Beneficiando-se da demanda existente e da qualidade, o grão aos poucos conquistou o interesse e foi apontado como a cultura que ajudaria a superar o cenário de proibição do comércio de sua maior receita alfandegária até então, o comércio de escravizados.

The Importance of Coffee for São Tomé and Príncipe in View of the Prohibition of Slave Trade by England

This article addresses coffee farming in São Tomé and Príncipe just after the English ban on the slave trade in 1807. Considered a key crop for of the development of agriculture in the archipelago, despite initial resistance to its cultivation, coffee maintained foreign commerce when the English ban and the anchorage exemption granted by the Portuguese crown to Brazilian ships trading in the Costa da Mina provided rights to the ports where the commercial bargains occurred. Benefiting from the demand for quality coffee beans, the crop gradually won the interest of local producers seeking to overcome the negative economic impact of the ban on the islands’ largest source of customs revenue: the commerce in enslaved people.

Coffee | Sao Tomé and Príncipe | Slave trade

Biografia do Autor

Alan de Carvalho Souza, Instituto de Ciências Sociais (ICS) e Centro de História da Faculdade de Letras - Universidade de Lisboa.

Alan de Carvalho Souza é doutor pelo Programa Interuniversitário de Doutoramento em História (PIUDHist) e autor dos livros Terras e Escravos: a desordem senhorial no Vale do Paraíba fluminense e Cargos Comissionados: clientelismo do Estado Social e Democrático

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

SOUZA, A. de C. A importância do café para São Tomé e Príncipe frente à proibição do comércio de escravizados pela Inglaterra. Afro-Ásia, [S. l.], n. 63, 2021. DOI: 10.9771/aa.v0i63.38370. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/38370. Acesso em: 23 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos