Em busca da "redenção de Cam": racialidade e interseccionalidade numa prisão de mulheres

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i63.37182

Palavras-chave:

Relações inter-raciais | Interseccionalidade | Branqueamento | Gênero | Prisão

Resumo

O artigo tem como objetivo discutir os atravessamentos do constructo racial no Brasil e sua configuração em espaços intramuros, reconhecendo a prisão como um dos lócus que permanece pouco permeável ao processo de construção da identidade negra vivenciado nas últimas décadas no país. Discute-se os elementos formadores do racismo moderno, levando em conta as especificidades do contexto brasileiro frente à experiência fundante do sequestro e da escravização africana no período colonial e seus prolongamentos, através dos conceitos branqueamento, contrato racial e dispositivo da racialidade, como categorias de inteligibilidade do racismo contemporâneo e suas reinvenções em sociedades que vivenciaram a escravidão moderna. Tais categorias são analisadas a partir dos relatos sobre relações inter-raciais elaborados por uma mulher cisgênero e um homem transgênero, reclusas (os) numa prisão em São Paulo, e revelam como as opressões vividas de modo interseccional, pelas presas racializadas, lhes impõem dificuldades adicionais ao processo de reconhecimento da identidade negra.

 

Looking for the “Redemption of Cam”: Raciality and Intersectionality in a Women’s Prison

This article discusses the overlap between racial constructs in Brazil and their configuration in intramural environments, recognizing the prison as a relatively impermeable locus in the process of Black identity construction in Brazil during recent decades. The paper discusses the formative elements of modern racism, taking into account specificities of the Brazilian context in the face of foundational experiences of African kidnapping and enslavement in the colonial period and their legacies, the concepts of whitening, racial contract and raciality device, as intelligibility categories of contemporary racism and its reinventions in societies that have experienced modern slavery. These categories are analyzed based on the reports on interracial relations elaborated by a cisgender woman and a transgender man, inmates in a female penitentiary in São Paulo, and show how the oppression experienced in an intersectional way, by racialized prisoners, imposes additional difficulties on them in their process of recognizing a Black identity.

Interracial relations | Intersectionality | Whitening ideology | Gender | Prison

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wallesandra Souza Rodrigues, Universidade Federal do ABC

Mestranda em Ciências Humanas e Sociais na Universidade Federal do ABC. Graduada em Sociologia e Política pela FESPSP - Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Possui experiência como estagiária em banco de dados e projetos de análise de Políticas Públicas e Direitos Humanos pela FESPSP e ITTC - Instituto Terra Trabalho e Cidadania.Pesquisa os seguintes temas: Encarceramento de Mulheres Negras na cidade de São Paulo; Interseccionalidade, Racismo, Relações Étnico-Raciais e Gênero.

Alessandra Teixeira, Universidade Federal do ABC (UFABC)

Professora Adjunta da Universidade Federal do ABC (UFABC). Doutora (2012) e Mestre (2007) em Sociologia pela Universidade de São Paulo. Advogada (1997). Pós-doutorado em Ciências sociais pela Faculdade de Filosofia e Ciências da UNESP/Marília (2015). É coordenadora do grupo de pesquisas RESISTÊNCIAS. Controle social, Memória e Interseccionalidades, certificado no Diretório de Grupos de Pesquisa do CNPq. Como pesquisadora, atuou em diferentes projetos de pesquisa quantitativa e qualitativa, sobre sistema de justiça criminal, segurança pública, violência de gênero e sistema prisional, na Fundação Seade, IDDD, Instituto Sou da Paz e IBCCRIM. Foi membro do Conselho Estadual da Condição Feminina (2003 e 2004); do Conselho de Políticas Públicas de Drogas e Álcool do município de São Paulo (2002-2004). Coordenou o núcleo de pesquisas (2003-2004) a comissão do sistema prisional do IBCCRIM (2007-2012) e Comissão de Segurança Pública deste Instituto (2012-2014). Áreas de atuação: práticas de controle e punição voltadas às mulheres, violência de gênero, desigualdades e interseccionalidades,; direitos humanos, violência institucional, memória e genealogia, juventude, crime e controle; política criminal e prisional.

Downloads

Publicado

2021-06-25

Como Citar

RODRIGUES, W. S.; TEIXEIRA, A. Em busca da "redenção de Cam": racialidade e interseccionalidade numa prisão de mulheres. Afro-Ásia, [S. l.], n. 63, 2021. DOI: 10.9771/aa.v0i63.37182. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/37182. Acesso em: 24 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos