A Universidade Eduardo Mondlane no projeto pós-colonial de educação em Moçambique, 1976-1993

Autores

  • Thiago Henrique Mota

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i54.23710

Palavras-chave:

Política educacional - nacionalismo - Moçambique - marxismo - Rebeldes do Aquário

Resumo

Neste artigo, são analisadas políticas educacionais desenvolvidas em Moçambique após a independência frente a Portugal. O recorte estabelecido diz respeito à transformação da Universidade de Lourenço Marques em Universidade Eduardo Mondlane (1976) como parte importante da revolução moçambicana; e a saída do ensino superior da órbita do Estado mediante a autorização para criação de universidades privadas (1993), consolidando o fim do regime socialista naquele país. Objetiva-se compreender o projeto educacional pós-colonial como recurso aplicado pela FRELIMO para consolidar um Estado Nacional, cuja inspiração socialista e apoio internacional foram marcados por posturas nacionalistas orientadas às necessidades do Estado mais que dos cidadãos. Apontam-se críticas a esse sistema surgidas dentro da Universidade bem como sua derrocada a partir da instalação do Programa de Recuperação Econômica, com aval do FMI, em 1987.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-08-17

Como Citar

MOTA, T. H. A Universidade Eduardo Mondlane no projeto pós-colonial de educação em Moçambique, 1976-1993. Afro-Ásia, Salvador, n. 54, 2016. DOI: 10.9771/aa.v0i54.23710. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/23710. Acesso em: 3 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)