Não só mandingas: QaִSīdat al-Burda, poesia ascética (zuhdiyyāt) e as Maqāmāt de al-Ḥarīrī nos escritos dos negros muçulmanos no Brasil oitocentista

Autores

  • Nikolay Dobronravin

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i53.22476

Resumo

Neste artigo, trata-se da descoberta dos textos (inclusive citações) literários nos manuscritos que foram produzidos e conservados pelos africanos no Brasil escravista. A lista agora estabelecida das obras conhecidas pelos escravos cultos já inclui os poemas árabes de al-Būṣīrī e de Abū Madyan al-Tilimsānī, versos sobre a sabedoria e a educação moral, pelo menos uma citação de “Maqāmāt” de al-Ḥarīrī. pesquisa sistemática permitiu mostrar também que os negros muçulmanos estavam familiarizados com a escrita ajami (com caracteres árabes) em línguas africanas, tais como hauçá, mandinga e soninquê. Os problemas não resolvidos são discutidos, como a localização das escolas e mestres muçulmanos no Brasil oitocentista.

Palavras-chave: cultura afro-brasileira - Islam - manuscritos - ajami -literatura árabe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-06-04

Como Citar

DOBRONRAVIN, N. Não só mandingas: QaִSīdat al-Burda, poesia ascética (zuhdiyyāt) e as Maqāmāt de al-Ḥarīrī nos escritos dos negros muçulmanos no Brasil oitocentista. Afro-Ásia, Salvador, n. 53, 2016. DOI: 10.9771/aa.v0i53.22476. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/22476. Acesso em: 3 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos