Um último triângulo notório: contrabandistas portugueses, senhores cubanos e portos norte-americanos na fase final do tráfico transatlântico de escravos, 1850-1867

Autores

  • Leonardo Marques

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i53.22472

Resumo

O presente texto analisa a transformação de portos dos Estados Unidos em centros de organização de expedições negreiras entre 1850 e 1867, parte fundamental do arranjo que permitiu o desembarque ilegal de aproximadamente 170.000 africanos escravizados em Cuba durante esse período. O artigo explora os motivos que levaram a essa transformação após a supressão do tráfico de escravos para o Brasil em princípios da década de 1850 e as principais características e estratégias da rede de contrabandistas que se estabeleceu em Nova Iorque. O estudo também explora as tensões locais, nacionais e internacionais geradas pelo estabelecimento dos traficantes nos Estados Unidos e, finalmente, o processo de desmantelamento das bases de organização do contrabando negreiro em sua fase final.

Palavras-chave: tráfico de escravos - abolicionismo - segunda escravidão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-06-04

Como Citar

MARQUES, L. Um último triângulo notório: contrabandistas portugueses, senhores cubanos e portos norte-americanos na fase final do tráfico transatlântico de escravos, 1850-1867. Afro-Ásia, Salvador, n. 53, 2016. DOI: 10.9771/aa.v0i53.22472. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/22472. Acesso em: 7 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos