A comida na diáspora: um olhar antropológico sobre a comida chinesa em Salvador, Bahia

Autores

  • Ana Claudia de Sá Teles Minnaert Agência Nacional de Vigilância Sanitária

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i58.22019

Palavras-chave:

migração internacional, comportamento alimentar, culinária

Resumo

No mundo contemporâneo, a cozinha chinesa está sofrendo diversas adaptações. Muitos pratos símbolos da “chinesidade” são produtos da culinária de diferentes regiões da China adaptados às preferências alimentares dos comedores do país de abrigo, não sendo mais identificados como pertencentes à sua cozinha pelos chineses. O objetivo deste trabalho é compreender a formação da cozinha chinesa em Salvador-BA, tendo como objeto a comida servida nos restaurantes chineses do Centro dessa cidade e a comida consumida por seus proprietários. Para esses imigrantes, a comida que se vende como chinesa não é a mesma que se come como tal, são duas preparações distintas que representam uma mesma cozinha. Na sua comida, os chineses revivem suas memórias, marcam seu espaço no novo território, constroem seu futuro, onde o novo e o velho se mesclam, onde os limites são fluídos e as fronteiras entre o eu e o outro se confundem.

Palavras-chave: migração internacional - comportamento alimentar - culinária.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Claudia de Sá Teles Minnaert, Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Doutora em Antropologia, integrante do Grupo de Pesquisa em Antropologia da Alimentação do Centro de Estudos Afro-Orientais da Universidade Federal da Bahia, sob a Coordenação do Dr. Jeferson Bacelar.

Downloads

Publicado

2018-09-05

Como Citar

DE SÁ TELES MINNAERT, A. C. A comida na diáspora: um olhar antropológico sobre a comida chinesa em Salvador, Bahia. Afro-Ásia, Salvador, n. 58, 2018. DOI: 10.9771/aa.v0i58.22019. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/22019. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos