Tramas do direito e da justiça local: a luta de Hypolita pela sua liberdade e de seus filhos em Crato (Ceará) e em Exu (Pernambuco) no século XIX

Autores

  • Antonia Márcia Nogueira Pedroza

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i52.21883

Resumo

Este artigo analisa a história de Hypolita Maria das Dores, mulata que nasceu

livre, foi escravizada e, por meio de uma ação de liberdade, recorreu à justiça

para provar a ilegitimidade de seu cativeiro e recuperar a sua liberdade e de seus

filhos no século XIX. O principal objetivo deste trabalho consiste em compreender

como se estabeleceram as tensões, alianças, condutas dos indivíduos e tramas

envolvidas por trás de uma ação de liberdade. Numa abordagem que se insere

no campo da história social da escravidão, Hypolita é tomada como sujeito de

sua história, pois enfrenta valores senhoriais e patriarcalistas de uma sociedade

escravocrata. O corpus documental que permite tal verticalização investigativa

é formado por informações jornalísticas d’O Araripe e d’O Cearense.

Palavras-chave: escravidão - ação de liberdade - mulher - Crato - Exu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-04-03

Como Citar

PEDROZA, A. M. N. Tramas do direito e da justiça local: a luta de Hypolita pela sua liberdade e de seus filhos em Crato (Ceará) e em Exu (Pernambuco) no século XIX. Afro-Ásia, Salvador, n. 52, 2015. DOI: 10.9771/aa.v0i52.21883. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/21883. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

Artigos