A comunidade dos Missionários da África e a introdução do catolicismo na Rodésia do Norte

Autores

  • Jefferson Olivatto da Silva

DOI:

https://doi.org/10.9771/aa.v0i52.21881

Resumo

Para interpretar as ações católicas inseridas na Rodésia do Norte serão objetivadas

as disposições eclesiásticas da Sociedade dos Missionários da África que explicariam

o projeto expansionista católico para a África subsaariana. Esse instituto

foi configurado por seu fundador, Charles Lavigerie, de acordo com os interesses

do papado de Pio IX e de Leão XIII. A interface entre Antropologia e História foi

utilizada para compreender os efeitos coloniais sobre a manutenção identitária

desse grupo. Conclui-se que o instituto conseguiu estabelecer o desdobramento

do Vicariato Apostólico do Niassa e de suas novas governanças eclesiásticas, à

medida que direcionava as tensões coloniais e religiosas para a governança de

seus superiores locais, dissimulando a precariedade dos postos missionários e a

resistência dos atores católicos às novas exigências coloniais.

Palavras-chave: Catolicismo - África Central - Fronteiras Culturais - Bemba.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2015-04-03

Como Citar

SILVA, J. O. da. A comunidade dos Missionários da África e a introdução do catolicismo na Rodésia do Norte. Afro-Ásia, Salvador, n. 52, 2015. DOI: 10.9771/aa.v0i52.21881. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/afroasia/article/view/21881. Acesso em: 7 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigos